Tomar | CityHack: uma maratona a gerar (boas) ideias tecnológicas (c/fotos e vídeos)

Foram 24 horas consecutivas a pensar na melhor solução tecnológica para um problema concreto. O Cityhack, uma maratona tecnológica que reuniu 16 equipas e cerca de 70 participantes, desafiou os participantes a solucionar problemas apresentados por mentores. A prova desenrolou-se entre as 15 horas de sábado e as 15 horas de domingo, no Complexo Cultural da Levada, em Tomar, com os resultados a serem anunciados com vista para o rio nabão.

PUB

A grande ideia vencedora foi o Projecto “Gula – Connect and Taste”, uma solução digital criada para ser uma alternativa aos comuns menus em papel utilizados na restauração, facilitando a vida ao turista. O grupo de participantes arrecadou 2 mil euros com esta ideia. O segundo lugar consistiu num projeto de Saúde e Bem-Estar e o terceiro lugar foi para a ideia “My Polis”, uma aplicação que tem o objetivo de aproximar o cidadão do Poder local.

Nuno Madeira, professor do IPT e rosto da organização, salientou o empenho da equipa que ajudou a realizar este evento, os cerca de 30 mentores, e os muitos patrocinadores que tornaram possível esta maratona. Durante o evento, foram ainda entregues vários vales de entrada para o Festival Bons Sons, em Cem Soldos, premiando quem venceu os torneios alternativos, nomeadamente de matraquilhos, pingue-pongue e o autor da fotografia com mais likes no Instagram.

PUB

Anabela Freitas, presidente da Câmara de Tomar, agradeceu na hora da despedida o trabalho das centenas de pessoas que trabalharam para que fosse possível para que este evento acontecesse. A autarca deixou uma palavra de incentivo a todas as equipas que participaram no City Hack, desafiando-as a participar no evento do próximo ano e a viverem permanentemente em Tomar.

“Espero que todos vós, quando terminarem os vossos cursos, possam vir viver para Tomar, uma cidade com uma grande ambiente criativo. É aqui que deve ser feita a vossa vida”, convidou.

PUB
Equipa vencedora do CityHack angariou 2000 euros graças à sua ideia tecnológica Foto: mediotejo.net

Tomar – Cityhack, anúncio dos vencedores

Publicado por mediotejo.net em Domingo, 3 de Junho de 2018

O evento arrancou no sábado, 2 de junho, pelas 10 horas, onde assistiram a uma pequena apresentação sobre o mesmo. As equipas deram uma volta pelo centro histórico da cidade de Tomar onde encontraram os mentores. Discutiram ideias com os mentores e às 15 horas de sábado começou a contagem decrescente. Na manhã de domingo, as 16 equipas tiveram 3 minutos para apresentarem a sua ideia, das quais foram apuradas 5 finalistas que tiveram que proceder a uma apresentação em PowerPoint da ideia. Às 17 horas de domingo foram anunciados os vencedores.

O presidente do Instituto Politécnico de Tomar, Eugénio de Almeida, disse ao mediotejo.net que com esta iniciativa procurou-se resolver algumas das questões própria da região onde o Politécnico está inserido. “Com o Cityhack procuramos encontrar soluções para problemas em concreto, questões apresentadas por mentores que conhecem o território”, disse, acrescentando que as ideias apresentadas podem vir a ser implementadas no terreno em conjunto com parceiros.

Eugénio de Almeida, presidente do IPT, considera que esta iniciativa é muito estimulante para os participantes Foto: mediotejo.net

Tomar – Cityhack no Complexo da Levada / Eugénio de Almeida, presidente do IPT

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 2 de Junho de 2018

Eugénio de Almeida disse que esta iniciativa “é muito estimulante”, não só para os alunos do Politécnico de Tomar como para outros jovens de outras instituições de ensino que se inscreveram para participar. “Falamos de jovens que se juntam em equipas e convivem durante 24 horas, criando laços de amizade e trocando experiências e conhecimentos entre si, por isso isto é muito mais do que uma competição. Essa é uma das grandes mais valias do Cityhack”, considera.

O responsável refere que o Politécnico de Tomar está a preparar-se para os desafios de futuro reunindo um conjunto de parceiros empresariais que lhes permita saber quais os problemas que estão a sentir no presente de modo a tentar adequar a oferta formativa para o mercado de trabalho. “Neste momento o grande desafio é preparar os nossos alunos para o mercado de trabalho não para daqui a dois ou três anos mas para daqui a 10 ou 15 anos”, disse.

Rodrigo Marques e Rui Sobral, alunos de Engenharia Informática, participaram nesta iniciativa Foto: mediotejo.net

Rui Sobral e Rodrigo Marques foram dois dos cerca de 70 participantes do Cityhack. O nome da sua equipa era “Lendas” sendo que foi a primeira vez que participaram neste evento. “Participamos pelo desafio e porque achamos que é uma iniciativa interessante tendo em conta que as ideias podem mesmo contribuir para resolver algum problema relacionado com a dinâmica empresarial”, referiu Rui Sobral, pronto para uma experiência muito gratificante a nível pessoal.

Já Rodrigo Marques diz que participa pelo desafio de ter que arranjar em 24 horas uma solução para um problema, o que poderá acontecer em contexto profissional.

A iniciativa CityHack, onde participaram alunos de várias instituições de ensino superior, teve ainda um cariz solidário já que foram recolhidos, entre os participantes, 115 quilos de alimentos para o Banco Alimentar contra a Fome, entregues a Célia Bonet, presidente da direção da Cáritas de Tomar, mostrando que a Tecnologia também pode ser sinónimo de solidariedade.

Tomar – CityHack Maratona tecnológica no Complexo da Levada

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 2 de Junho de 2018

 

 

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here