Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Agosto 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Centro Cultural da Levada cresce com Moagem transformada em Fábrica das Artes

Tem cinco pisos e promete ser um espaço cultural marcante da cidade, abrindo à curiosidade dos visitantes sete oficinas de artes tradicionais ligadas à Festa dos Tabuleiros, nas aéreas da latoaria, cestaria, olaria, flores de papel e rodilhas, têxtil, pintura e cerâmica.

- Publicidade -

A inauguração desta “A Moagem – Fábrica das Artes”, decorre na terça-feira, dia 16 de junho, pelas 18 horas, recuperando o edifício da moagem A Portuguesa, que data de 1912 e é parte integrante do Complexo Cultural da Levada, um conjunto arquitetónico edificado sobre o rio Nabão e que conta a história industrial de Tomar desde o séc. XII até ao séc. XX.

Centro Cultural da Levada, em Tomar. Fotografia: Arlindo Homem

- Publicidade -

A Moagem irá ser uma unidade museológica deste complexo cultural mas, enquanto esse processo não avança, os cinco pisos do edifício centenário abrem portas ao público, de forma experimental, com a instalação de oficinas e ateliers criativos que terão programação e curadoria a cargo do município.

A Festa dos Tabuleiros é candidata a Património Imaterial da Humanidade da UNESCO. Foto: Joana Rita Santos/mediotejo.net

 

Numa primeira fase, serão ali instaladas oficinas de artes tradicionais ligadas à Festa dos Tabuleiros. No piso térreo haverá oficina de latoaria com a artesã Otília Marques, oficina de cestaria com o artesão José Henriques, oficina de olaria tradicional com o artesão Celestino Marques e oficina de flores de papel e rodilhas com a artesã Maria Vitória Simões.

Nos três primeiros pisos podem ser visitadas as oficinas e ateliers criativos, que contam com a presença do artista têxtil João Bruno Videira, no piso 1, Dawn Mendonça e Bill Rivers com atelier de pintura no piso 2 e João Pinto Costa, com oficina de cerâmica, no piso 3. O último piso fica reservado para residências artísticas, com carácter temporário, sendo o primeiro convidado Mário Bicho, com joalharia.

Festa dos Tabuleiros, 2019: Jorge Santiago/mediotejo.net

O município refere, em nota de imprensa, que pretende ver “A Moagem – Fábrica das Artes” afirmar-se “como um polo de fruição cultural, de atração turística e que seja reconhecido como uma referência a nível nacional e internacional”.

Sou diretora do jornal mediotejo.net e da revista Ponto, e diretora editorial da Médio Tejo Edições / Origami Livros. Sou jornalista profissional desde 1995 e tenho a felicidade de ter corrido mundo a fazer o que mais gosto, testemunhando momentos cruciais da história mundial. Fui grande-repórter da revista Visão e algumas da reportagens que escrevi foram premiadas a nível nacional e internacional. Mas a maior recompensa desta profissão será sempre a promessa contida em cada texto: a possibilidade de questionar, inquietar, surpreender, emocionar e, quem sabe, fazer a diferença. Cresci no Tramagal, terra onde aprendi as primeiras letras e os valores da fraternidade e da liberdade. Mantenho-me apaixonada pelo processo de descoberta, investigação e escrita de uma boa história. Gosto de plantar árvores e flores, sou mãe a dobrar e escrevi quatro livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome