Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

TOMAR: Câmara Municipal aprova orçamento de 37 milhões com aposta na habitação social

O executivo camarário de Tomar aprovou na sexta-feira, 30 de outubro, o Orçamento para 2016 e as Grandes Opções do Plano para 2016/2019. O investimento municipal será de 37 milhões e 47 mil euros, um valor bastante inferior ao do ano passado que foi de 44 milhões.

- Publicidade -

Na mesma reunião foi ainda aprovado o respetivo mapa de pessoal para o ano de 2016 que prevê a abertura de nove lugares para vários departamentos.

O orçamento foi aprovado apenas com os votos da coligação PS/CDU, maioria que atualmente gere a autarquia dado que a oposição (PSD e Independentes por Tomar) votaram contra por não concordarem que se votassem em conjunto estes dois pontos: orçamento e mapa de pessoal.

- Publicidade -

No final da reunião, Anabela Freitas, presidente da autarquia, disse ao medio.tejo.net que este orçamento “é o que está mais de acordo com o que é a realidade financeira do município”. A autarca salientou que a aposta “é clara no que deve ser o caminho para Tomar”, tendo apontado para a habitação social.

“Por muito que as pessoas gostem de ver as estradas feitas, as coisas arranjadas enquanto tivermos 1% da população sem habitação a nossa aposta tem que ser a habitação social”, vincou, tendo acrescentado que esta contempla as famílias de etnia cigana que, atualmente, se encontram no bairro do Flecheiro.

Questionada se será em 2016 que estas famílias serão realojadas no anunciado ‘Parque Nómada’ a autarca explicou que será no próximo ano que o processo terá início. “Todos os tomarenses que entram em Tomar, pela zona sul, não gostam do que temos pelo que a aposta será na resolução deste problema”, frisou.

Anabela Freitas disse ainda que a questão passa pelo “realojamento de perto de 300 pessoas pelo que a solução passa por distribuir os diferentes clãs por vários parques nómadas. Não há a mesma solução para todos e têm que ser apresentadas várias soluções para vários problemas que temos ali naquele espaço”, observou.

A autarquia pretende ainda apostar na construção do Centro Escolar da Linhaceira, na freguesia da Asseiceira, atribuir uma fatia para o mercado municipal de Tomar, reabilitar o Convento de São Francisco, requalificar a Várzea Grande, a  Sinagoga, avançar com a 3.ª fase de arruamentos do centro histórico, e valorizar os vestígios de ocupação romana em Tomar.

Para os vereadores do PSD, tudo isto não passa de “um conjunto de intenções”, tal como para o vereador independente que questionou insistemente a alteração do mapa de pessoal para 2016.

O Orçamento vai agora ser debatido e aprovado em sede de Assembleia Municipal onde, contrariamente ao que se passa no executivo, PS e CDU não têm a maioria. Anabela Freitas refere que a assembleia é soberana para decidir o que entender.

“Não sei se a assembleia me vai pedir para dividir a votação de orçamento e mapa de pessoal ou qual vai ser o entendimento, mas se não for aprovado ficamos com o orçamento do ano passado que são 44 milhões, ou seja, ainda é superior ao deste ano”, disse.

 

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here