- Publicidade -

Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Tomar | Câmara estabelece protocolo com espaço de coworking privado na cidade

Foi aprovada pela maioria socialista a minuta de protocolo de colaboração com a empresa Granada & Frank Lda que estabelece a parceria com o projeto Offício Cowork, na Rua Serpa Pinto, vulgo Corredoura. Este é um projeto de iniciativa privada fundado por Andreas Frank, jornalista alemão que está radicado em Tomar, e que pretende dinamizar um espaço de coworking fomentando o trabalho remoto para empreendedores ou empresas que pratiquem este modelo laboral muito em voga devido à atual conjuntura condicionada pela pandemia de covid-19, onde o teletrabalho é recomendado pelas entidades governamentais.

- Publicidade -

Este espaço, que nasceu na cidade nabantina em 2020 por iniciativa privada, terá agora a parceria do Município tomarense no apoio à sua dinamização e utilização.

Porém o PSD votou contra, tendo inclusive pedido que o ponto fosse retirado da ordem de trabalhos da reunião de 13 de dezembro, para que pudessem ser esclarecidas algumas questões sobre o protocolo. A oposição considerou que faltavam pormenores importantes no documento que definissem melhor esta colaboração entre a autarquia e o espaço de coworking, nomeadamente que definissem os preços de utilização praticados, o financiamento, os critérios de avaliação das candidaturas e regulamento de ocupação e impacto nas contas da autarquia.

- Publicidade -

Lurdes Fernandes, vereadora do PSD, começou por referir que “ninguém mais que o PSD” quer o apoio aos empresários e aos empreendedores. Lembrou que o PSD há mais de 8 anos que apresenta propostas à Câmara Municipal para que ponha à disposição espaços desta natureza, para coworking, como meio de apoio a novos empresários e empreendedores, ajudando à fixação de investimento e criação de emprego.

ÁUDIO | Lurdes Fernandes, vereadora do PSD:

- Publicidade -

Frisou que esta é uma das medidas que integram a proposta recentemente aprovada por unanimidade para criação de regulamento de benefícios fiscais e apoio ao investimento.

Não deixou de comentar que é “curioso” ser alguém do privado a fazer uma proposta à autarquia para solução.

Acrescentando que o PSD tem grande preocupação com a gestão das verbas públicas, propôs que o ponto fosse retirado uma vez que necessitam os vereadores que seja apresentado um plano em sejam indicadas informações de que o protocolo não dispõe, caso do número previsível de empreendedores/empresas que se estima atingir num determinado período; número de salas e espaços disponíveis; valor do custo de cada espaço; bem como o valor de financiamento em causa; critérios de avaliação das candidaturas e regulamento de ocupação; procedimentos para reembolso de verbas se aos proprietários ou diretos beneficiários; qual o impacto no orçamento anual da autarquia e rubricas afetas.

“Sem estes elementos não temos condições para aprovar. É um protocolo que não faz qualquer relação com tópicos que achamos que deve fazer. Estamos perante dinheiros públicos, não sabemos qual o custo, não tem qualquer informação acerca destes tópicos. Propomos que seja retirado o ponto e que o mesmo venha acompanhado numa próxima reunião de dados concretos, de previsões”, afirmou.

Desde logo Hugo Cristóvão (PS), vice-presidente da autarquia, deu conta que o ponto não seria retirado entendendo que “seria complicar o que é simples”.

“O espaço está bem próximo da Câmara e podemos fazer uma visita logo no final da reunião”, notou, algo que a autarca Anabela Freitas, que participava na sessão por videoconferência, corroborou.

Anabela Freitas referiu que está previsto no protocolo duas formas de apoio, um para empresas novas e outro para existentes, que “está perfeitamente balizado no tempo”, e afirma que o valor do espaço tem a ver com o valor cobrado normalmente.

O protocolo tem período de vigência além de um ano, e entende a edil que não se pode a autarquia comprometer com a fixação de preços, sob pena de o privado poder vir a aumentar o preço de utilização no futuro.  Por outro lado, assegurou que foi trabalhado em conjunto com o privado e para a maioria socialista estão claros os objetivos do protocolo. Também Anabela Freitas mencionou que o PSD estava “a complicar o que é simples”.

A autarca disse que os vereadores poderiam visitar o espaço e ver quantas pessoas cabem, quantas podem lá estar, e disse esperar que haja “muita mobilidade nas empresas”.

O PSD não se mostrou convencido com o argumentado, e o vereador Tiago Carrão (PSD) adiantou que não se trata de complicar o que é simples, mas sim “de clarificar”.

ÁUDIO | Tiago Carrão, vereador do PSD:

Sublinhou que há questões no protocolo em causa que ficam em aberto e que não ficam clarificadas e que “em lado nenhum consta que o valor praticado pelo privado é o valor de mercado”, notando ainda que não há ideia se haverá limite do espaço e se é o limite físico, e que isso não consta no protocolo.

“O protocolo é um penso rápido numa ferida enorme na política de apoio económico da vossa governação”, criticou, referindo que o Tomar “é o único concelho do Médio Tejo desta dimensão que não tem solução da incubação de empresas e coworking”, frisando que Abrantes tem desde 2003, Torres Novas desde 2016, Ourém desde 2019.

Disse também que este “penso rápido” surge proposto pela iniciativa privada, situação que o PSD diz valorizar e estimar, mas considera que é “muito poucochinho” tal como o protocolo que deixa questões em aberto que o PSD gostava de ver esclarecidas para poderem sentir-se confortáveis com o sentido de voto.

O ponto foi aprovado por maioria PS com três votos contra do PSD.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome