- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Tomar | Câmara destaca Dia Europeu para a Proteção das Crianças

Este sábado, dia 18 de novembro assinala-se o Dia Europeu para a Proteção das Crianças contra a Exploração Sexual e o Abuso Sexual, efeméride instituída pelo Conselho da Europa para alertar a população em geral para a realidade da violência sexual contra crianças.

- Publicidade -

O comunicado enviado pela Câmara de Tomar refere que “é importante reconhecer que esta é uma realidade que persiste, em muitas situações, invisível e silenciada porque ocorre,
frequentemente no seio familiar ou relacional próximo e que afeta
milhões de crianças em todo o mundo, não escolhendo país, género, etnia ou estrato social”.

O Conselho da Europa, ao instituir este dia pretende aumentar a consciência pública acerca da exploração e abuso sexual de crianças e da necessidade de impedir tais atos, facilitar a discussão aberta sobre a proteção das crianças contra a exploração e abuso sexual e ajudar a prevenir e a eliminar
a estigmatização das vítimas, promover a ratificação e a aplicação da Convenção de Lanzarote, um instrumento único, juridicamente vinculante que obriga os estados Europeus a criminalizar todas as formas de abuso sexual contra crianças.

- Publicidade -

O abuso sexual é definido pela Organização Mundial de Saúde como uma interação de índole sexual em que está envolvida uma criança ou adolescente e em que esta ou este não compreende totalmente a natureza do ato em que se vê inserido.

“Devido ao seu nível de desenvolvimento a criança/adolescente não está preparado para este nível de interação e por isso não dá o seu consentimento informado para o ato ou mesmo quando há um suposto consentimento a criança não tem uma verdadeira noção do que está a acontecer”, sublinha a Câmara na informação enviada.

No documento divulgado pela autarquia lê-se ainda que “existem inúmeras formas de abuso mais ou menos ‘intrusivas’ que podem ir desde a exposição a linguagem desapropriada, visualização de conteúdos pornográficos, assédio via internet ou redes sociais com vista ao abuso (grooming) até formas mais diretas e violentas como o toque em partes íntimas da criança, a coação da criança a fazer determinados procedimentos ao abusador até à violação propriamente dita”.

A Câmara alerta os pais e cuidadores para a importância de estarem “atentos a possíveis alterações de comportamento ou até sinais físicos que, por si só não significam que a criança tenha sido abusada, mas que é sempre obrigatório investigar e esclarecer preferencialmente junto de um profissional de saúde. Isto é ainda mais importante se atentarmos aos estudos mundiais que calculam que os abusos sexuais perpetrados até aos 18 anos podem ir de 10 a 20%, o que significa que são abusadas 10 a 20 crianças”.

Segundo a autarquia, “a prevenção é a única forma de ajudarmos as crianças a defender-se destes verdadeiros predadores pelo que devemos todos proporcionar às nossas crianças alguns conceitos chave que as podem a ajudar a identificar uma situação desadequada, como por exemplo, o que são partes privadas do corpo, partes do corpo em que se pode ou não tocar, quem pode ou não tocar nessas partes e em que situação, o que são segredos bons e segredos maus, etc…”.

A informação é a chave para a prevenção. Quem quiser obter mais informações sobre o assunto ou aceder a materiais específicos dedicados aos mais pequenos para trabalhar esta problemática pode aceder a http://www.aquininguemtoca.or

Jornalista profissional há mais de 30 anos, passou por vários jornais diários nacionais, nomeadamente pelo 'Diário de Lisboa', 'Diário de Notícias' e 'A Capital'. Apaixonada pela profissão desde a adolescência, abraçou o jornalismo nas suas diversas áreas, desde o Desporto às Artes e Espetáculos, passando pela Política e pelos temas Internacionais. O jornalismo de proximidade surge agora no seu percurso.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome