Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Julho 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar: Câmara aceita fazer obras que estavam no orçamento da junta urbana

A Câmara Municipal de Tomar, liderada por Anabela Freitas (PS) aceitou o repto lançado pela Junta Urbana de Tomar, igualmente liderada pelo socialista Augusto Barros, e vai levar a cabo as obras que estavam previstas no Plano e Orçamento de 2016 deste executivo.

- Publicidade -

Tendo estes documentos sido chumbados, pela segunda vez consecutiva, pela oposição, a Junta Urbana promoveu uma conferência de imprensa revelando que ia “instar” a Câmara Municipal a levar a cabo as obras que estavam previstas e que incidem, nomeadamente, na requalificação de várias estradas municipais.

IMG_4402
Câmara aceitou o repto de Augusto Barros

- Publicidade -

Anabela Freitas explicou que já esteve reunida com a junta e que, na prática, o que vai acontecer é que a junta vai devolver à autarquia o contrato inter-administrativo que tinha sido aprovado para a pavimentação de novas estradas que, de resto, foi celebrado com outras juntas de freguesia.

“Como o contrato inter-administrativo não produz efeitos (porque o orçamento não foi aprovado) é a Câmara que assume essas obras. Para nós é como se o contrato não tivesse sido aceite ou assinado pela outra parte”, explicou a autarca.

Anabela Freitas refere que a autarquia reúne condições para avançar com estas obras porque as verbas afetas às mesmas também não foram transferidas. “Estas obras já foram incluídas no Plano de Trabalhos do Departamento de Obras Municipais, que entretanto foi reformulado”, acrescentou.

Questionada pelo mediotejo.net se a autarquia não estará a abrir um precedente – ao fazer obras prometidas ainda por mais por uma junta que é da mesma cor política do seu executivo – Anabela Freitas explicou que teria o mesmo procedimento com qualquer junta onde a situação fosse similar.

“Não iríamos deixar cair o contrato inter-administrativo”, replicou.

 

 

 

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome