- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Tomar | Autarquia critica “obras de cosmética” na Estrada de Paialvo

A EN 349-3, vulgo Estrada de Paialvo, voltou a estar na ordem do dia na última reunião de Câmara de Tomar. O vereador José Delgado (PSD) trouxe o tema para cima da mesa, afirmando que a Infraestruturas de Portugal (IP) fez uma intervenção de “cosmética” num troço da estrada que representa situação de perigo para a circulação automóvel e, para agravar, suprimiu uma berma obrigando os peões a circularem dentro da via. Anabela Freitas (PS), autarca tomarense, propôs que o executivo tome deliberação para “pressionar” a empresa no sentido de solucionar um problema que se arrasta há anos.

- Publicidade -

José Delgado (PSD) disse que, apesar da colocação de rails de proteção na zona do talude da estrada que tem sofrido deslizamentos de terras e que chegou a levar ao corte da estrada por questões de segurança, se mantém preocupado com aquela situação.

“Colocaram um rail de proteção metálico para que não haja capotamentos ou despistes de veículos, no entanto, repara-se que não trataram o talude, o que significa que a situação de perigo se mantém apesar de aparentemente ter sido resolvida”, disse, indicando que outro perigo adveio da última intervenção da IP. “Suprimiram a berma, isto é, os peões são obrigados a entrar na estrada em vez de terem uma zona de proteção onde possam circular em segurança. Mais uma vez, a Infraestruturas de Portugal, apesar da obra que eu penso que não é adequada ao que se passa, não resolveu as questões do talude, suprimiu a berma e criou uma [sensação de] falsa segurança”, criticou.

- Publicidade -

O vereador propôs que a Câmara atuasse junto da empresa, e Anabela Freitas (PS), presidente da Câmara Municipal de Tomar, afirmou que “a autarquia já notificou a IP após a colocação do rail de proteção, manifestando preocupação precisamente por aquilo que o vereador disse”.

A autarca mostrou consenso com o exposto pelo vereador social-democrata, entendendo tratar-se de uma ação de “cosmética” a intervenção da IP naquela estrada, afirmando ainda ter noção de que “não atuaram no talude”, continuando a acontecer deslizamento de terras no local.

Também Anabela Freitas crê que aquela obra “cria uma falsa sensação de segurança”, acrescendo o facto de acrescida do facto de, no local onde colocaram o rail de proteção, obrigar os transeuntes a entrar na estrada.

“Já não é a primeira vez que notificamos a IP por causa da questão do talude da Estrada do Paialvo, que ainda é anterior a um deslizamento de um outro talude no IC9 e a um acidente que ocorreu na estrada de Leiria e esta situação ainda não se resolveu”, disse a edil propondo que o executivo municipal possa tomar medidas.

“Penso que uma deliberação de Câmara tem muito mais peso do que uma mera notificação (…), [por isso] trarei a reunião uma proposta de deliberação para pressionar a Infraestruturas de Portugal”, concluiu Anabela Freitas.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome