Sexta-feira, Fevereiro 26, 2021
- Publicidade -

Tomar | Autarca faz ponto de situação sobre custos do Município com a pandemia

Um aumento das despesas e uma redução das receitas é o cenário provocado pela pandemia de Covid-19 na autarquia de Tomar. Na última sessão da Assembleia Municipal, a presidente da autarquia, Anabela Freitas (PS), fez um ponto de situação acerca do impacto económico que a pandemia teve nas contas do Município.

- Publicidade -

“Desde o início da pandemia, a Câmara teve um total de despesas de 396.852,00€”, começou por dar conta Anabela Freitas, presidente do Município de Tomar, perante os deputados municipais em sessão de Assembleia Municipal.

Um valor de quase 400 mil euros investido na prevenção à Covid-19, nomeadamente, em material de desinfeção, vestuário e Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), material de testagem, máscaras comunitárias, material de apoio a lares e material informático.

- Publicidade -

Junta-se a esta conta mais cerca de 30.000,00€ que englobam um apoio monetário aos Centros de Dia do concelho (que se viram obrigados a fechar portas devido à pandemia) bem como “reforços das contas que fizemos e que estamos disponíveis para continuar a fazer nas contas quer das Caritas quer da Cruz Vermelha para o apoio social que estamos a dar através destas instituições”.

Anabela Freitas deu também conta de que durante este período foram aprovados os pedidos de “ 45 empresas e 115 famílias que pediram 50% da redução da tarifa da água e 115 famílias” e de “99 empresas e 24 famílias que pediram a redução a 100% da tarifa e 24 famílias”.

Assembleia Municipal de Tomar. Foto: mediotejo.net

No total de custos que a Câmara Municipal de Tomar tem contabilizados desde o mês de março, a autarquia teve uma perda de receitas de 349.339,00€, valor apurado a 31 de julho.

Anabela Freitas realçou que foi também encurtado o tempo de pagamento aos fornecedores. “O Município está a pagar a 20 dias (…) para pagarmos mais rapidamente aos fornecedores”, disse.

A autarca deu também nota de que desde meados de agosto está constituída uma equipa entre a Câmara, a Saúde Pública e o ACES do Médio Tejo – e quando necessário um elemento da Segurança Social – que estão a realizar “visitas surpresas ao lares”.

 

“Queremos ver se houve alívio ou não em termos dos planos de contingência”, disse a autarca.

Anabela Freitas falou também sobre os espaços de acolhimento de doentes suspeitos e infetados com Covid-19 no concelho, referindo que “todos os lugares identificados para montar estruturas temporárias de apoio foram todos validados pela saúde pública”.

A ser necessário o uso de algum local para acolher doentes nesta época de inverno que se avizinha, Anabela Freitas referiu que a autarquia tem “identificados um conjunto de locais”, sendo uma das hipótese “o pavilhão municipal, porque não tem atividade letiva”.

O balanço sobre o impacto da Covid-19 no concelho de Tomar foi feito pela presidente do Município de Tomar na sessão de Assembleia Municipal, que decorreu no dia 25 de setembro.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou à capital com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).