Tomar ativa Posto de Comando de Proteção Civil e reforça resposta municipal à covid-19

A Comissão Municipal de Proteção Civil de Tomar deliberou em reunião extraordinária a ativação do Posto de Comando Municipal de Operações de Proteção Civil, estando o mesmo em estado de prontidão desde as 18h30 de terça-feira. Esta ativação vem na sequência do Estado de Emergência declarado no passado domingo e também no âmbito do Plano Municipal de Emergência da Proteção Civil, com intuito de coordenar a resposta municipal em situações relacionadas com a pandemia de covid-19. 

PUB

A informação já havia sido confirmada na reunião de Câmara do dia 9 de novembro, com a autarca Anabela Freitas (PS) a referir que só algumas medidas impostas pelo Estado de Emergência têm implicações para o concelho de Tomar, até ver.

Caso da “possibilidade de medição de temperatura na entrada de locais públicos, de espetáculos, etc, assim como a possibilidade de a Saúde Pública e não só poderem recrutar trabalhadores que estejam aposentados e outras situações”.

PUB

A edil lembrou que a próxima revisão dos critérios que colocam concelhos na lista de risco elevado de transmissão do novo coronavírus “ocorrerá esta quinta-feira, e vamos ver se Tomar consegue ficar fora dos concelhos de risco elevado, isto é dinâmico, uns sairão, outros entrarão”.

ÁUDIO: Anabela Freitas, presidente da CM Tomar, fazendo ponto de situação e comentando a atual situação covid-19 no concelho na reunião de Câmara do dia 10 de novembro

PUB

A autarca confirmou que atualmente há um surto em lar do concelho, confirmado na passada sexta-feira , que “está controlado e acompanhado pela autoridade de saúde, além de outros casos confirmados que surgem isoladamente a testar positivo”.

“Pelos números que temos de ontem [domingo] Tomar fica fora do critério aplicado, 240 casos ativos nos últimos 14 dias por cada 100 mil habitantes. Mas isto é sempre dinâmico”, frisou Anabela Freitas.

Por outro lado, a edil deu conta da montagem do Posto de Comando Municipal de Proteção Civil como resposta à covid-19 no concelho.

O Posto de Comando de Proteção Civil está montado no Quartel dos Bombeiros desde sexta-feira passada. Foto: CMT

Tomar decidiu montar um Posto de Comando Municipal de Operações de Proteção Civil desde sexta-feira no Quartel dos Bombeiros de Tomar e foi agora ativado. O Posto de Comando agrega várias entidades, entre as quais a Câmara Municipal de Tomar e respetiva Proteção Civil, a Autoridade de Saúde local, PSP, GNR, um representante das Juntas de Freguesia, a Segurança Social, Centro Hospitalar do Médio Tejo.

Cabe a este Posto de Comando “a coordenação das ações de resposta municipal, nomeadamente, mobilizar e ativar meios e recursos existentes, de forma a gerir as situações relacionadas com a pandemia de covid-19”.

Anabela Freitas afirma que deve manter-se “vigilância apertada” e frisa que “é necessário que cada um de nós tome as medidas, que cada pessoa não faça jantares e almoços em casa, tenha cuidado com os contactos familiares”, entendendo que devem existir cuidados redobrados.

“Os cuidados hospitalares só aparecem no fim de linha, tem de se atuar a montante, para podermos aliviar o fim de linha”, disse.

Anabela Freitas, presidente da CM Tomar, diz ter um conjunto de funcionários/assistentes técnicos do Município identificados e disponíveis para integrar equipas locais de apoio e monitorização em situações relacionadas com a covid-19. Foto: mediotejo.net

Também na reunião de Câmara passada, a autarca disse estarem disponíveis funcionários da autarquia para apoiar no setor da saúde e social, em situações no âmbito da pandemia.

Em resposta à vereadora Célia Bonet (PSD), que pretendeu saber se está previsto um grupo de trabalho que possa acompanhar quem testou positivo e quem está em contacto com esses casos e não tomou medidas que deveria ter tomado em termos de contenção e segurança, a presidente de Câmara disse que há disponibilidade para fornecer trabalhadores da autarquia para integrar essas equipas de monitorização, que podem ser entre quatro a cinco equipas.

A autarca assume ainda que em matéria de autoridade de Saúde Pública não poderiam estar “melhor servidos”, e que a ativação das equipas dependerá das instâncias de saúde pública.

Por outro lado, quanto à criação de grupo de trabalho e Comissão de acompanhamento no terreno dos casos covid-19 e do cumprimento de isolamento, Anabela Freitas referiu que só existe acesso a números, e não há identificação dos casos confirmados, uma vez que só as forças policiais têm acesso a essa identificação. Eventualmente as equipas poderão acompanhar as forças de segurança, mas tudo é ainda uma possibilidade em aberto.

PUB
Joana Rita Santos
Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).