Tomar | Assembleia Municipal rejeita competências na área dos bombeiros, estacionamento público e jogos de azar

A Assembleia Municipal de Tomar, reunida a 25 de janeiro, estive a discutir a transferência de competências em várias áreas, tendo os eleitos recusado aceitar as transferências da Administração Central na área dos bombeiros, no domínio do estacionamento público e ainda no domínio da exploração das modalidades afins de jogos de fortuna ou azar e outras formas de jogo.

PUB

A bancada do PSD absteve-se em todos os pontos. O Bloco de Esquerda e CDU votou contra a aceitação destas competências, com o líder da bancada da CDU, Paulo Macedo, a fazer uma intervenção em cada um dos assuntos discutidos.

Presidente da autarquia deu explicações sobre as transferência de competências Foto: mediotejo.net

PUB

A presidente da autarquia, Anabela Freitas (PS), começou por dar conta de algumas explicações transversais aos 11 pontos e que estas transferências não são consensuais em todos os municípios, sendo que a ideia defendida pelo município é que deve ser a assembleia a decidir se aceita ou não esta transferência de competências.

“Todas as competências estão já, desde 1 de janeiro, nos municípios e nas entidades intermunicipais. Há municípios que optaram por trazer às assembleias municipais os pontos apenas com os quais não concordaram aceitar as competências mas o nosso entendimento é que se a assembleia é o órgão competente para não aceitar é também o órgão competente para aceitar”, disse.

PUB

Anabela Freitas referiu ainda que algumas destas 11 competências são para transferir única e exclusivamente para o município, outras são para transferir para a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT), e ainda outras são uma parte para os municípios e entidades intermunicipais. A autarca explicou que alguns destes pontos são apenas a continuidade daquilo que já se faz.

“Quando estamos a falar de competências transferidas para a Entidade Intermunicipal estamos a falar de nós, enquanto município, darmos o acordo que a mesma possa receber essa competência”, observou.

Sobre o estacionamento público em concreto, a presidente da autarquia explicou que decidiram não aceitar esta transferência de competências porque a forma como o diploma está redigido não é muito claro.

“A PSP e a GNR continua a ter competências mas essencialmente esta fiscalização só pode ser feita por fiscais. Ora, há cerca de 5 anos que não abre curso para fiscais e portanto, se há entidades no nosso território que atuam nesta matéria não vamos hipotecar recursos humanos para este serviço, sobrecarregando os mesmos”, defendeu.

PUB
Elsa Ribeiro Gonçalves
Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).