- Publicidade -
Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Tomar | Aqueduto dos Pegões ganha mais brilho com trabalho de 80 voluntários (C/FOTOS/VIDEO)

Trabalhar no duro e de forma abnegada. Foi com este espírito que cerca de 80 voluntários se deslocaram, na manhã primaveril deste sábado, 8 de abril, até ao Aqueduto dos Pegões em Tomar para participar na 6.ª Acão Cívica de Limpeza do grupo Amigos do Aqueduto do Convento de Cristo, que tem como objetivo preservar e fazer com que, cada vez mais, se olhe para o monumento como parte integrante do Convento de Cristo.

- Publicidade -

Grupo de voluntários que participou na iniciativa deste sábado, 8 de abril Foto: José Gaio

Os trabalhos arrancaram pelas 8h00, com os voluntários a serem distribuídos por equipas e tarefas diferentes, prolongando-se até à hora de almoço. Recolha de lixo, corte de mato e arbustos, remoção de galhos, abertura de caminhos e limpeza foram apenas alguns trabalhos efetuados. O som do motosserra foi constante numa manhã de árduo trabalho e que funcionou como uma espécie de ginásio ao ar livre para os participantes. Os bombeiros de Tomar marcaram presença para controlar as queimadas necessárias aos sobrantes.

- Publicidade -

Voluntárias retiram terra do interior do Aqueduto Foto: mediotejo.net

José Carlos Godinho, um dos elementos fundadores do Grupo dos Amigos do Aqueduto do Convento de Cristo recordou ao mediotejo.net que tudo surgiu a partir da política, nomeadamente nas autárquicas de 2013, uma vez que as forças políticas da freguesia (PS, PSD e CDU) tinham um interesse comum que era o Aqueduto do Convento de Cristo. “Dessa forma, reunimo-nos os três e formamos este grupo oficioso. Pedimos ajuda ao Rui Ferreira do Convento de Cristo e avançámos com a limpeza do Aqueduto. Com esta é a sexta edição e temos tido a participação de muitos voluntários e do apoio dos patrocinadores que oferece o almoço”, disse.

José Carlos Godinho refere que ainda é encontrado bastante lixo ao redor deste Monumento, tal como pneus, televisores, alcatrão, cimento, congratulando-se com a crescente adesão das pessoas a esta iniciativa. “Começamos com cerca de 12 pessoas e, nesta, já tivemos cerca de 80 pessoas inscritas”, salientou. A lenha que sobra dos trabalhos é, posteriormente, distribuída por quem precisar.

José Carlos Godinho e Maria do Carmo Ferreira, dois dos participantes Foto: mediotejo.net

Os participantes nesta ação cívica são de todas as idades e, para além dos escuteiros que são uma presença assídua, este ano juntaram-se novos voluntários: o grupo de atletismo do União de Tomar, uma vez que o trail nabantino, a 1 de maio, vai passar junto ao Aqueduto e será necessário abrir caminhos para os atletas.

É a terceira vez que Maria do Carmo Ferreira participa pela nesta iniciativa dos Amigos do Aqueduto. “Faço-o em prol do nosso património, que é muito rico. Há que ajudar os autarcas porque sozinhos também não têm, muitas vezes, os meios humanos para poder fazer estes trabalhos. Assim trabalhamos todos e é por uma boa causa”, disse. “Quando vamos daqui vamos extremamente cansados mas vamos bem connosco porque fazemos um bom trabalho”, disse.

Escuteiros são presença assídua nesta ação cívica Foto: mediotejo.net

João Carlos veio pela companhia e pelo convívio mas também porque sabe que está a fazer algo por uma causa que une mais pessoas. Do Agrupamento de Escuteiros 44, de Cem Soldos, encontrámos Guilherme Garcês, de 16 anos. “Com todos a colaborar, o trabalho torna-se fácil”, refere.

Tomar / VI acção cívica de limpeza do Aqueduto dos Pegões / cerca de 80 voluntários limpam envolvente ao monumento

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 8 de Abril de 2017

A limpar a terra do interior do Aqueduto, Fátima Caldeira não se deixa intimidar com o trabalho que tem pela frente. Já veio a quatro iniciativas dos Amigos do Aqueduto, sendo que o que mais a motiva é o resultado final. “É cansativo mas é gratificante vermos isto tudo limpo. Nas iniciativas anteriores descobrimos Casas de Água lindíssimas, com abóbodas, após tirarmos alguns valentes baldes de terra. Se não fosse este trabalho, o Aqueduto qualquer dia desaparecia”, considera a tomarense que é assistente operacional numa escola.

Trabalhos incidiram junto à 2.ª Casa de Água do Aqueduto dos Pegões Foto: mediotejo.net

Rui Ferreira, do grupo de Amigos do Aqueduto do Convento de Cristo, frisa que este é “um grupo não formal sendo que não tem capacidade de angariar fundos que não sejam apoios ou patrocínios diretos”, sendo fundamental que estes existam para criar uma empatia com o tecido social do concelho de Tomar.

“Há sempre um conjunto de entidades que nos apoiam, tal como a Legenda Medieval, Intermarché, Casa das Ratas, Agriloja e da Associação dos Brasões que confeciona e nos fornece o espaço para o almoço”, exemplifica. Também a Câmara de Tomar e as Juntas de Freguesia Urbana e de Carregueiros apoiou esta iniciativa com meios logísticos e o seguro dos participantes. “Esta é uma ação que qualquer cidadão pode fazer para poder melhorar a sua visibilidade e fruição”, convida.

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome