Tomar | Aprovada proposta do PSD para analisar criação de ciclovia que ligue concelhos do Médio Tejo (c/áudio)

Câmara de Tomar aprova proposta do PSD para realizar estudo para criação de ciclovia que ligue concelhos do Médio Tejo. Foto ilustrativa: DR

Defendendo a necessidade de refletir sobre as alternativas de mobilidade na região, os vereadores da Câmara Municipal de Tomar eleitos pelo Partido Social-Democrata apresentaram em reunião do executivo municipal uma proposta para que se estude a criação de uma ciclovia que ligue as principais cidades e vilas do Médio Tejo. A ideia foi aprovada por unanimidade.

PUB

A sugestão para que se estude a criação de uma ciclovia entre os concelhos do Médio Tejo já tinha vindo a reunião de Câmara de Tomar a 17 de agosto, pela voz do vereador social-democrata Luís Ramos. Desta vez, na reunião do executivo de 31 de agosto, a ideia passou a proposta incluída na ordem de trabalhos, tendo merecido a aprovação por unanimidade do executivo municipal.

Na proposta, o PSD propõe que o Município de Tomar “assuma a iniciativa e a liderança”, em articulação com a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e com os municípios integrantes em que seja viável, de realizar um estudo para a “criação de uma ciclovia que ligue as principais cidades e vilas do Médio Tejo”.

PUB

A título de exemplo, o partido diz ser possível a criação de ecovias ou ciclovias que liguem cidades como Tomar, Entroncamento, Torres Novas, Ourém, Abrantes ou Ferreira do Zêzere.

Uma ideia que “pode parecer um projeto algo utópico e ambicioso” mas que tem os olhos postos num futuro “mais verde, limpo e sustentável”, diz o PSD, e que pretende delinear percursos e desenvolver infraestruturas que “incentivem o uso dos habitantes deste território de um meio de transporte mais ecológico como é o caso da bicicleta” ao mesmo tempo que se está a promover alternativas de mobilidade “que sejam sinónimos de sustentabilidade ambiental”.

PUB

 

Na apresentação da proposta, o PSD destaca ainda as mudanças em termos de mobilidade que têm vindo a acontecer no mundo, e em particular na Europa, com “várias cidades europeias a antecipar planos de mobilidade e a inaugurar novos circuitos para bicicletas e peões, em consequência da pandemia Covid-19”.

O vereador Luís Ramos referiu que esta é uma oportunidade “que não pode ser desperdiçada”, tendo em conta que a 21 de julho abriu precisamente um aviso do Fundo Ambiental “Construção de Ciclovias no âmbito do Portugal Ciclável (II)”, com uma dotação de 3,5 milhões de euros e dirigido a municípios contíguos que pretendam construir ciclovias entre os seus territórios ou a Comunidades Intermunicipais.

Reunião de Câmara de Tomar de 31 de agosto de 2020. Foto: mediotejo.net

Do lado do executivo socialista, o vice-presidente da Câmara Municipal de Tomar, Hugo Cristóvão, reagiu à proposta do PSD admitindo que a autarquia é “obviamente, favorável” e lembrando que o Município até tem sido “regularmente criticado por alguns projetos em que as ciclovias estão incluídas e há este desígnio em que vamos, peça a peça do puzzle, montando na cidade, pelo menos no eixo norte-sul e no eixo este-oeste uma ligação ciclável”.

No entanto, Hugo Cristóvão alerta que “é preciso que se tenha noção que, em relação ao fundo [comunitário] que é referido, não é exequível”.

“Um projeto destes é coisa para demorar, no mínimo, um ano. E isto sendo bastante otimista”, acrescentou, explicando que tal projeto sendo intermunicipal envolveria diversas questões como “decidir qual dos municípios é que avançava com o projeto”, que demorariam meses e que ultrapassariam o prazo do fundo comunitário que “será seguramente bastante curto e regra geral, os fundos comunitários nesta fase é para projetos que estejam com a maior maturidade possível, com projeto de execução aprovado, pronto a lançar obra ou se possível já com obra a acontecer”.

Câmara de Tomarr aprovou por unanimidade uma proposta do PSD para realizar estudo para criação de ciclovia que ligue concelhos do Médio Tejo. Foto ilustrativa: DR

Destacando que as ciclovias e ecovias são tendências que “vão continuar” a ganhar força nos próximos tempos, o vice-presidente reiterou que a Câmara Municipal vai, referindo-se à proposta do PSD, “tentar pelo menos pensar nisso e ir fazendo esse caminho. É algo para estudar”.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

1 COMENTÁRIO

  1. Eu sei que há milhões de euros para as ciclovias. Há-as abandonadas por tudo quanto é concelho, vila ou aldeia… Passam por elas 20 bicicletas por mês e os verdadeiros ciclistas não se arriscam nelas por serem igualmente frequentadas pelos peões.
    Como eu gostaria de ver as estradas por onde passam, por dia, milhares de automóveis, como a Nacional 365, devidamente alargadas e de tapete novo sem os buracos, fissuras e faltas de alcatrão e de bermas para os peregrinos de Santiago… mas não, só há dinheiro para fantasias, fogos fátuos e bolos a tolos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here