Tomar | Aos 45 anos, Bela Soares é campeã nacional e vive o culturismo como “uma paixão e um estilo de vida”

Quando foi desafiada pela primeira vez a participar numa prova de culturismo, Bela Soares, como é mais conhecida em Tomar, já tinha 39 anos. “Pensei: já sou velha para isto, mas, porque não? Vou experimentar, não perco nada. Competi pela primeira vez em 2013 e fui campeã nacional”, conta Bela, agora com 45 anos.

Para a entrevista, marcámos encontro ao fim da tarde, no ginásio WakeUp em Tomar onde treina todos os dias. Entre pesos e máquinas e com música de fundo, a conversa foi intercalada pelos exercícios previamente programados. “Hoje vou fazer costas e bíceps”, refere, olhando para o telemóvel onde tem o plano de exercícios diários enviado pelo seu treinador, António Gameiro, da equipa 2 Korpus.

Ali ao lado está o seu marido, Dinis Baião, também a praticar musculação, mas sem preocupações competitivas até porque não tem esse objetivo. Ao mesmo tempo, o filho de ambos, de 12 anos, treina futebol no estádio municipal, pelo União de Tomar.

PUB

Para Bela, como prefere ser tratada, é mais um treino intenso de cerca de hora e meia, após um dia de trabalho num armazém de roupa na zona industrial de Tomar.

Bela Soares treina todos os dias num ginásio em Tomar. Foto: mediotejo.net

Começou a praticar musculação aos 22 anos, mas só aos 39 é que se dedicou ao culturismo com carácter competitivo. “Nunca é tarde para começar um sonho” é o lema que defende para a vida que escolheu e que a obriga a muitos sacrifícios.

Aos 45 anos e com músculos enormes e duríssimos, a tomarense tem de conciliar diariamente o trabalho, a família e os treinos. “Tem sido um processo difícil. Tentar conciliar tudo muitas vezes é complicado”, desabafa.

Bela combina um treino exigente com uma alimentação rigorosa. Foto: mediotejo.net

A sua dedicação à modalidade tem resultado numa carreira em ascensão. Foi tricampeã nacional, conquistou duas vezes a medalha de bronze e depois a medalha de ouro no campeonato da Europa e ficou entre as quatro melhores do mundo noutra prova internacional de culturismo feminino.

Os prémios alcançados e as palavras de incentivo que recebe da família, incluindo do seu filho que a apoia incondicionalmente, são fatores que a motivam a não desistir. “Penso sempre que, se consegui chegar até aqui, também consigo continuar. Por isso vou-me esforçando para continuar”.

Para se conseguirem resultados e prémios na modalidade do culturismo “não basta ir ao ginásio”, como faz questão de frisar Bela Soares. “Tenho uma disciplina 24 horas por dia, porque a minha alimentação é toda pesada à grama, tenho de pesar tudo antes de comer”, explica, referindo que come oito vezes por dia, alimentação que prepara diariamente de véspera e coloca em marmitas.

De manhã (levanta-se às 6 horas), além de acabar de preparar as refeições, trata de si e do seu filho, e faz o primeiro treino, antes de ir para o trabalho.

No refeitório da empresa onde almoça, é com facilidade que resiste às guloseimas que as colegas lhe oferecem. “É uma questão de disciplina. Tem de ser assim”, argumenta.

Numa altura em que está na ordem do dia o caso Ângelo Rodrigues, o tema dos esteróides e anabolizantes não podia deixar de ser abordado.

Bela começa por reconhecer que “não há desporto nenhum onde não haja consumo desses produtos”.

“São caminhos mais fáceis mas não dão bom resultado”, opina. A campeã tomarense garante que não consome esteróides nem esse género de produtos. “Tomo um multivitamínico, uma proteína isolada e uns BCAA  (abreviatura de “Branch Chain Amino Acids”), que são aminoácidos que me ajudam a recuperar mais rápido depois do treino”, revela a atleta, que acrescenta: “às vezes sou capaz de meter uma creatina mas isso são coisas que se vendem nos supermercados”.

Numa das provas internacionais em que participou. Foto: DR

O treino prossegue com curtas pausas para responder às perguntas do jornalista, ajustar os aparelhos de musculação e respirar fundo. De vez em quando consulta no telemóvel a lista de exercícios que o seu treinador lhe envia e que tem de cumprir com rigor.

Mesmo a suar, é visível a satisfação e prazer com que Bela avança para mais uma série de exercícios. “Sinto-me bem. As pessoas pensam que saio daqui cansada, mas não, saio daqui revigorada”, assegura, convicta.

E quando lhe perguntamos até que idade pensa participar em competições, hesita na resposta. “Não sei, eu sinto-me bem e enquanto não tiver problemas de saúde, desde que consiga resultados e enquanto eu puder, vou participar”.

Em julho último, na prova Mr. Big Evolution PRO, disputada no Casino Estoril, a concorrer na categoria Women’s physique entre 22 atletas profissionais de todo o mundo, Bela conquistou o 4° lugar entre as mulheres mais musculadas, a elite do culturismo feminino. Rejubilou de alegria, como é fácil de adivinhar.

Nesta altura ainda não sabe quais as próximas provas em que vai competir. Ainda não está definido o calendário das provas para 2020, mas até lá a atleta mantém o foco em superar os seus limites e conseguir os melhores resultados.

Porque, para Bela, o culturismo “mais do que um desporto, é um estilo de vida, uma arte, uma paixão”.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here