Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Julho 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Taça do Ribatejo: União de Tomar soube sofrer para ser feliz diante um bom Cartaxo (com áudio)

7 de fevereiro de 2016, 15 horas, Tomar

- Publicidade -

Taça do Ribatejo – Oitavos de Final

União Futebol Comércio e Indústria de Tomar 1 – Sport Lisboa e Cartaxo 1

- Publicidade -

(8-7 no desempate das grandes penalidades)

Crónica do jogo por Jorge Duarte

IMGP0120
Jorge Duarte

Este era um dos jogos cartaz destes Oitavos-de-Final da Taça do Ribatejo, que opunha o terceiro ao segundo classificado do Campeonato, o que deixava antever um jogo muito complicado para ambas as equipas.

O jogo começou com uma toada de equilíbrio e de estudo mutuo nos primeiros dez, doze minutos, onde nenhuma das equipas se expôs e correu riscos. A partir dai o Cartaxo tomou conta do jogo, controlou a partida tendo mais posse de bola e criou a primeira grande oportunidade aos quinze minutos de jogo, por intermédio de Tiago Dias, numa boa execução dentro da grande área, mas Fábio apareceu em grande plano pela primeira vez – o que se viria a repetir mais vezes. Os nabantinos não gostaram do atrevimento dos visitantes, procuraram reagir, mas só a espaços e em contra-ataque, ia conseguindo explorar os espaços vazios deixados pelo adversário. Os cartaxenses mostravam-se mais eficazes e equilibrados, valendo ao União o seu maior poder físico no choque, para no confronto direto ir roubando algumas bolas e procurar o meio-campo adversário. Ainda na primeira parte realce para duas oportunidades para os comandados de André Luís, onde Fábio voltou a ser decisivo trancando a sua baliza e para outras duas da equipa da casa, em que na primeira Ivo defende com os joelhos e na segunda Tiago Vieira quis oferecer a Pélé, mas o cruzamento saiu frouxo, o que facilitou a ação da defensiva forasteira.

Ao intervalo o empate era um resultado que se podia aceitar, embora o jogo já merecesse golos.

2
Ao intervalo já Fábio, guardião nabantino, era figura do jogo. Foto João Pereira Fidalgo

Na segunda parte o Cartaxo acentuou o seu domínio em termos territoriais, alcançando o golo, por Barbosa, treze minutos após o descanso. Lino Freitas leu bem o jogo, faz entrar Wemerson, e o União de Tomar passa a equilibrar a partida, dividindo o comando das operações. O Cartaxo sentiu o crescimento do adversário, parecendo ter começado a pensar, ainda com 15 minutos para jogar, em guardar a vantagem, o que lhe foi prejudicial. O Tomar tomou conta do jogo, tentou, tentou e depois de tanto porfiar conseguiu o golo do empate, por intermédio de Araújo, um justo prémio por nunca ter baixado os braços, nunca tendo virado a cara à luta, mesmo perante um adversário que lhe foi mais tempo superior e que está melhor formatado.

4
Lance do golo nabantino, em que Araújo (tapado na imagem) restabelece a igualdade a três minutos do fim. Foto João Pereira Fidalgo.

Chegou o minuto 90 e só na “sorte” dos penaltis se conseguiu encontrar o vencedor. Ai voltou a aparecer Fábio que tinha sido o melhor no jogo, voltou a ser o melhor, parando o penalti de Diogo, dando assim a passagem à sua equipa.

Patrício Pereira teve uma arbitragem difícil, mostrou-se bem a nível físico ao acompanhar de perto todos os lances. Foi contestado pelos nabantinos ainda com 1-0, em que Bernardo e Wemerson dividem um lance na área do Cartaxo, acabando o avançado de Tomar por cair. Do local onde nos encontramos pareceu-nos lance para grande penalidade, no entanto damos o benefício da dúvida ao árbitro que estava em cima da jogada e que acabou por admoestar Wemerson com o cartão amarelo por ter considerado simulação. Fê-lo também com Tiago Dias pelos mesmos motivos, na área contrária. Guardou os cartões até ao limite, mas a partir do golo do Cartaxo teve que começar a intervir disciplinarmente, acabando por exibir por sete vezes o cartão amarelo. Na globalidade arbitragem bastante aceitável, num jogo nada fácil e com decisões difíceis.

1
Foram três boas equipas sobre o relvado do Estádio Municipal de Tomar. Foto João Pereira Fidalgo

Ficha do jogo

Estádio Municipal de Tomar

Árbitros: Patrício Pereira, Bernardo Fonseca e Rui Ferreira

Patricio Pereira
Trio de arbitragem. Bernardo Fonseca, Patrício Pereira e Rui Ferreira. Foto João Pereira Fidalgo

UFCI Tomar

Fábio, Douglas, Fábio Vieira, Nuno Rodrigues (Vinicius), Filipe (Pedro Figueiredo), Tiago Vieira, Luís Pedro, Tiago (Wemerson), Araújo, Pélé e David Vieira

Suplentes: Brito, Rui Silva, Dylan, Vinicius, Pedro Figueiredo, Wemerson e Hugo

Treinador: Lino Freitas

SL Cartaxo

Ivo, Kiko (Chevy), Bernardo, Koeman, Ricardo Henriques, Tiago Dias, Batista, David, Diogo, Fred e Barbosa

Suplentes: Ricardo, Caravana, Sami, João Soares, Vitor e Chevy

Treinador: André Luís

Marcadores: Araújo (87′) ; Barbosa (58′)

A opinião dos treinadores:

Lino Freitas (Tomar)

Lino Freitas (2)
Lino Freitas

 

André Luís (Cartaxo)

André Luis
André Luís

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome