- Publicidade -

Taça do Ribatejo | Abrantes e Benfica ainda assustou mas “O Coruchense” segue para a final (c/ fotos e áudio)

GRUPO DESPORTIVO “O CORUCHENSE” 1 – SPORT ABRANTES E BENFICA 1

- Publicidade -

Taça do Ribatejo – 1/2 Final – 2ª Mão
Estádio Municipal Prof. José Peseiro – Coruche – 24-03-2019

Estádio Municipal Prof. José Peseiro – Coruche.

- Publicidade -

Os dois treinadores já tinham previsto um jogo difícil que poderia ser resolvido nos detalhes e, realmente, toda a eliminatória foi abundante em situações que acabaram por fazer a diferença. “O Coruchense” segue para a Final da Taça do Ribatejo, que vai realizar-se no dia 12 de maio, no Entroncamento, fruto de dois golos obtidos através de grande penalidade, um em cada mão. Os homens do Sport Abrantes e Benfica ainda assustaram (e sonharam) em Coruche, mas não foi suficiente.

“O Coruchense” segue para a Final da Taça do Ribatejo, no dia 12 de Maio, no Entroncamento.

A forte e determinada entrada em jogo da equipa de Abrantes, surpreendeu a formação de Coruche que, em grande parte do primeiro tempo, nunca conseguiu anular as constantes investidas dos de Abrantes. O primeiro quarto de hora da partida é exemplo disso, com a marcação de dois golos e algumas outras boas ocasiões para que o marcador pudesse ser alterado, com maior evidência para o conjunto encarnado.

Fruto da melhor entrada dos abrantinos, Marcos Patrício inaugura o marcador antes dos seis minutos.

Fruto da melhor entrada dos abrantinos, Marcos Patrício inaugura o marcador ainda antes de o cronómetro assinalar o minuto seis, numa boa jogada de entendimento conjunto, empatando assim a eliminatória, e criando ainda maior suspense quanto ao desfecho desta meia-final. E essa não foi a primeira oportunidade pois, segundos antes, os encarnados ficaram a reclamar grande penalidade após o esférico ter resvalado nas mãos de dois adversários mas com a equipa de arbitragem a nada assinalar.

De grande-penalidade, David Silva empata a partida aos 9 minutos.

Estava feito o mais difícil para o conjunto de Abrantes, mas três minutos depois, o capitão Tony, na tentativa de aliviar de “carrinho” um lance de perigo na sua área, toca com a sua mão na bola e, desta feita, Diogo Pereira não teve dúvidas e foi peremptório a assinalar a marca dos onze metros. Chamado à conversão do castigo máximo, David Silva empata a partida ainda antes de estarem decorridos dez minutos de jogo.

Jogo bem disputado, com a equipa de Abrantes a obrigar o Coruchense a aplicar-se para rumar à final.

Apesar de ter conseguido alcançar o empate logo de pronto, “O Coruchense” revelava algumas dificuldades em estancar o maior caudal ofensivo do Abrantes e Benfica que, instalando-se no meio-campo adversário, ia causando alguns “calafrios” ao onze de Coruche. Apenas em bolas bombeadas para a defesa abrantina é que os locais iam criando alguns lances de maior grau de dificuldade, sempre bem resolvidos pela defesa abrantina ou pelo seu guardião.

Abrantes e Benfica bem melhor que o adversário na primeira parte.

Um desses casos ocorreu ao minuto 23, com David Silva e responder de cabeça a um cruzamento longo, mas a atirar ao lado da baliza à guarda de Joel. Respondeu novamente o SAB aos 27 minutos, novamente por Marcos Patrício a atirar, mas a acertar em cheio na base do poste de Gonçalo Guerra.

O Abrantes e Benfica dominada o jogo e sentia-se tranquilo, olhando o adversário nos olhos (líder do Campeonato Distrital da Primeira Divisão) e assim ficou até ao descanso não, sem antes, um lance de alguma virilidade ter deixado algumas dúvidas quanto ao critério disciplinar adoptado pelo árbitro Diogo Pereira e seus pares (a esse lance se reporta Paulo “Seninho” à reportagem do mediotejo).

Segunda parte completamente diferente com “O Coruchense” a acerta posições e a anular o adversário.

Resultado ao intervalo demasiado “simpático” para os pupilos do técnico Gonçalo Silva, pois foi, sem dúvida, do Abrantes e Benfica o melhor futebol e as melhores ocasiões para poder levar de vantagem nos primeiros 45 minutos. Contudo o intervalo fez bem ao “O Coruchense” que entrou mais tranquila no segundo tempo. Rectificando algumas posições, subindo as suas linhas e anulando os jogadores “chave” dos benfiquistas que iam perdendo algum do fulgor apresentado na primeira metade da contenda.

Na segunda metade de jogo imperou a “lei” do meio-campo.

Mas, mesmo assim, o domínio territorial de “O Coruchense” não se traduziu em grandes oportunidades de golo, coisa que o Abrantes e Benfica também não conseguia fazer. Os guarda-redes de ambos os conjuntos pouco trabalho tiveram no segunda metade e o tempo foi-se arrastando com os locais apenas a controlarem os adversários, o que não tinham conseguido fazer até então.

De maior relevância apenas um lance onde Joel teve que se aplicar um pouco mais e outro – já a finalizar a partida – com Hélio Ocante a chegar um pouco tarde para a emenda a um cruzamento, permitindo que Gonçalo Guerra segurasse a bola, guardando o empate e a passagem de “O Coruchense” à Final da Taça do Ribatejo, edição 2018/2019.

A terminar a partida, Helio Ocante ainda esteve perto do segundo para o SAB.

O trio de arbitragem esteve em evidência ao longo de toda a partida, sendo contestado por ambos os conjuntos e pela numerosa assistência que marcou presença no Estádio Municipal Prof. José Peseiro. Alguns lances mais viris em que o critério disciplinar não foi coerente com prejuízo maior para o Sport Abrantes e Benfica que viu Duarte Basílio ser expulso aos 87 minutos por acumulação de cartões amarelos e Hélio Ocante (já após o apito final) porventura por diálogo mais aceso.

Sport Abrantes e Benfica ainda tentou na parte final do jogo mas sem sucesso.

FICHA DO JOGO:

GRUPO DESPORTIVO “O CORUCHENSE”:

Gonçalo Guerra, Rodrigo, Cajarana, Mike, Semiano (cap.), Serge, Joel, David Silva, Luís Carlos, Miguel Seninho e Kevin.

Suplentes: Carrapato, Lourenço Botelho, Heta, Capeto, Costa, Sadjo e Benavente.

Treinador: Gonçalo Silva.

Plantel do Grupo Desportivo “O Coruchense”.

SPORT ABRANTES E BENFICA:

Joel Dias, Miguel Catarino, Tony (cap.), Diogo Mateus, Duarte Basílio, Bernardo Bexiga, Diogo Barrocas, José Pedro, Diogo Rocha, Marcos Patrício e Rafa.

Suplentes: Diogo Pascoal, Hélio Ocante, Miguel Victor, Rafael Serrano, Luís Silva, Wilson Leite e Rodrigo.

Treinador: Paulo Fernando “Séninho”.

Onze titular do Sport Abrantes e Benfica.

GOLOS: David Silva (gp) (“O Coruchense”); Marcos Patrício (SAB).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:

Diogo Pereira, Samuel Dionísio e Bernardo Fonseca.

Como habitualmente, no final do jogo ouvimos os dois técnicos que, mesmo com futuros diferentes na competição, se mostraram orgulhosos dos seus pupilos e evidenciaram a qualidade destas duas equipas:

Gonçalo Silva, treinador de “O Coruchense”.

 

Paulo Alexandre “Seninho”, treinador do Sport Abrantes e Benfica.

 

A grande “culpada” é uma velhinha máquina de escrever Royal esquecida lá por casa e que me “infectou” para uma vida que se revelou mais tarde não fazer sentido sem o jornalismo. O primeiro boletim da paróquia e o primeiro jornal da pequena aldeia onde frequentava a escola (tinha apenas 7 anos de idade) entranharam-me a alma (e o sangue) deste “vício” de escrever e comunicar. Seguiram-se os pequenos jornais de turma, os das escolas, os painéis informativos colocados nas paredes dos átrios e o dos escuteiros... e nunca mais o “vício” sarou. Ao longo da vida, foram vários e diversificados os ofícios exercidos profissionalmente, mas o “mar dos desejos” desaguava sempre numa folha de papel ou (mais tarde) num portátil de computador (e sempre com a máquina fotográfica como companhia). Já mais "a sério” e desde jornais regionais, rádios locais, periódicos nacionais e televisão (TVI), já são mais de 45 anos de um percurso “académico” de alguém que pouco se importa de não possuir um “canudo”.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).