Terça-feira, Dezembro 7, 2021

“Só é impossível até acontecer”, por Vasco Damas

Provavelmente influenciados pelo episódio de Aljubarrota, temos uma tendência, natural e cultural, para desenvolver uma simpatia por histórias que nos mostram que ninguém é derrotado antes de travar uma “batalha”.

- Publicidade -

Talvez seja por isso que também eu goste muito de resultados pouco convencionais, daqueles imprevisíveis que à partida, poucos ou nenhuns vaticinariam, e que nos fazem ter a certeza que vale a pena sonhar, confirmando que a história está cheia de impossíveis que afinal acabaram por acontecer. 

É óbvio que não podemos esquecer que por trás deste, e de tantos outros sonhos que se tornaram realidade, está a liderança, o trabalho, o espírito de equipa, a capacidade de sofrimento, a competência, a crença, a coerência, o foco e a capacidade de superação.

- Publicidade -

Sendo honesto, há histórias destas de que não gosto assim tanto, mas mais do que a resignação na aceitação da vitória de um rival, fico com a esperança dada pela lição e pelo exemplo. Exemplo que inspira e, espero, que contagie. Porque também é disso que se trata. Uma vitória da justiça, da verdade, da humildade e de todos aqueles que fazem mais com menos.

É nisso que deposito a esperança. Nisso e na qualidade e complementaridade de uma equipa que produz resultados que são muito mais que apenas a soma das partes. Na singularidade e excelência de uma equipa que inventa soluções onde outros encontrariam problemas. Na competência e profundidade de conhecimento de uma equipa que analisa, debate e propõe.

Só é impossível até acontecer, mantendo a coerência e a essência, tendo a humildade de saber que ser parte da solução não se pode confundir nunca com ser a única solução e mostrando disponibilidade para ajudar na construção, elogiando sempre que houver motivos, para que haja legitimidade quando a crítica fizer sentido.

Eu acredito, já acreditava, sinto que há cada vez mais pessoas a acreditarem, e desde ontem, renovei e reforcei a minha crença. De facto, a vida está cheia de improbabilidades e de impossíveis. É por isso que vale a pena continuar a trabalhar para não deixar de sonhar, porque o sonho que começou pequenino, não para de crescer a cada dia que passa. E como todos sabemos, o sonho ainda comanda a vida.

É gestor e trabalhar com pessoas, contribuir para o seu crescimento e levá-las a ultrapassar os limites que pensavam que tinham é a sua maior satisfação profissional. Gosta do equilíbrio entre a família como porto de abrigo e das “tempestades” saudáveis provocadas pelos convívios entre amigos. Adora o mar, principalmente no Inverno, que utiliza, sempre que possível, como profilaxia natural. Nos tempos livres gosta de “viajar” à boleia de um bom livro ou de um bom filme. Em síntese, adora desfrutar dos pequenos prazeres da vida.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome