PUB

Sertã | Vereador do PS a favor da alteração de data da Romaria de S. Nuno

O tema já havia sido analisado na passada sessão de Assembleia Municipal, após intervenção da presidente da UF de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais, Filomena Bernardo (PSD). Na última reunião pública da CM Sertã foi o vereador Carlos Miranda (PS) que se mostrou a favor da mudança da data da Romaria para dia 24 de junho. Ainda assim, o autarca José Farinha Nunes (PSD) não se mostrou convencido, referindo existirem “duas figuras distintas”, D. Nuno e São Nuno, que requereriam dois tipos de celebração, um em abril e outro em junho.

PUB

Reconhecendo existir “praticamente unanimidade em Cernache do Bonjardim para que a Romaria se realizasse a 24 de junho e eu também concordo com esta data”, Carlos Miranda (PS) assumiu concordar com a transição do certame, explicando que “não tem a ver com as condições climatéricas, porque no dia 24 de junho poderão ser melhores que em abril, a questão aqui é concebermos dimensão e significado a esta romaria”. Para o socialista a romaria “teria condições para ser um marco importante nas festividades de toda a região”.

O vereador socialista frisou que, assinalando-se no dia 24 de junho a data de nascimento de São Nuno “faz todo o sentido que o feriado municipal esteja associado a uma romaria a São Nuno de Santa Maria”, realizando-se esta em Cernache do Bonjardim, e dando assim a autarquia “um exemplo de descentralização, transferindo um evento muito importante que é a celebração do feriado municipal, para uma freguesia que não a sede de concelho”.

PUB

Na opinião do vereador, esta estratégia “tornaria a romaria mais relevante e mais eficaz”.

“Pretendemos que a romaria seja uma homenagem a Nuno Álvares Pereira, mas também pretendemos que seja um evento que possa chamar as atenções para Cernache do Bonjardim e para o concelho da Sertã, que possa trazer algum desenvolvimento àquela localidade e ao concelho”, continuou, insistindo que “devíamos fazer uma aposta muito grande nesta romaria, se é nossa intenção e se nós consideramos que é estratégico promover Nuno Álvares Pereira e Cernache do Bonjardim.

“Temos que apostar com tudo, não podemos ser tímidos e parciais nesta aposta, ou queremos ou não queremos”, afirmou, certeiro.

O vereador indicou ainda que o município deveria destacar os principais eventos em calendário no concelho, considerando que a Romaria de São Nuno poderia entrar nesses destaques a par do Festival do Maranho, entre outros.

“Se consideramos que a figura de São Nuno pode ser um aspeto relevante para a dinamização económica da freguesia de Cernache do Bonjardim e do concelho, temos que apostar nesta figura e neste evento”, atraindo pessoas de fora do concelho, reafirmou, admitindo ainda assim notar “uma aposta grande” mas que fica aquém do investimento feito “de dezenas de milhares de euros” em infraestruturas.

Carlos Miranda considerou que seria pertinente ~2que o investimento em termos de espetáculos, cultura e eventos pudesse acompanhar o investimento que é feito nas infraestruturas”, fazendo a ressalva de que “o investimento no cartaz artístico e cultural ficou aquém do investimento nas infraestruturas”.

Foi ainda salientado pelo eleito que “falta ainda um local onde se assinale de forma simbólica a presença de Nuno Álvares Pereira, porque só assim se pode justificar que as pessoas venham a Cernache do Bonjardim em homenagem (…) um local onde as pessoas se possam recolher em meditação ou em contemplação”, terminou, notando que o Seminário das Missões, espaço que poderia ser aproveitado neste sentido, se encontra fechado maior parte do tempo.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal da Sertã, José Farinha Nunes (PSD), referiu existirem “duas pessoas distintas, D. Nuno e São Nuno”, considerando “D. Nuno a segunda figura de Portugal em termos de história, e deve ser bem vincada e bem divulgada, e o São Nuno em termos de Romaria e eu não misturaria as duas figuras”.

Para o autarca, o facto de se realizar uma romaria prende-se com cariz religioso, tendo-se socorrido ainda do exemplo do 13 de maio, notando que “não há lá conjuntos musicais”.

“Íamos ter duas iniciativas distintas, uma no dia 24 de junho com D. Nuno, e outra em abril com São Nuno”, disse, acrescentando que o calendário “ficaria mais bem preenchido” se assim fosse.

O autarca assumiu que “é necessário investir na Romaria de São Nuno porque estamos a começar, e já evoluímos bastante” e “é de continuar a investir para divulgar bem esta figura que nós temos que aproveitar em termos de desenvolvimento, não só de turismo religioso, mas de desenvolvimento económico em geral”.

Aprovado voto de louvor a todos os envolvidos na organização da Romaria de São Nuno

Foi ainda aprovado, por unanimidade, um voto de louvor a todos os envolvidos na organização da romaria de 2018, inicialmente proposto por Jorge Coluna, vereador do PSD.

O eleito municipal havia iniciado a sua intervenção fazendo um “louvor especial não só aos funcionários do município da Sertã, como a União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais, mas também à Adjunta Ana Delgado que teve um trabalho exemplar na organização desta cerimónia”, dando ainda destaque “à população de Cernache do Bonjardim, associações e os varredores das ruas, que tiveram um trabalho bastante profundo e cuidado e com muita dedicação” nomeadamente na ornamentação das ruas.

José Farinha Nunes (PSD) notou o grande envolvimento da população neste certame tal como o vereador Carlos Miranda (PS), tendo sido alargado o louvor a todo o executivo municipal. “A população tem-se envolvido cada vez mais e isso é de realçar também”, reforçou.

Outro voto de louvor foi incluído no início da ordem do dia, valorizando o trabalho dos funcionários da Câmara da Sertã, nomeadamente na função de manobradores de máquinas de rastos, que apoiaram no combate aos incêndios de 2017.

PUB
PUB
Joana Rita Santos
Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).