Sertã | Verdes reclamam reposição das comunicações nas zonas atingidas pelos fogos

A aldeia de Marinha de Vale do Carvalho, na Sertã, está sem telefone e internet desde outubro de 2017, quando um incêndio destruiu as telecomunicações. Foto arquivo: mediotejo.net

Na sequência de uma audiência decorrida a 29 de janeiro entre o Partido Ecologista “Os Verdes” e o Presidente da Câmara Municipal da Sertã, José Farinha Nunes, o Grupo Parlamentar Os Verdes entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, sobre a falta de restabelecimento na totalidade das telecomunicações, em particular pela operadora MEO, nas zonas afetadas pelos incêndios de 15 e 16 de outubro, como é o caso do concelho da Sertã.

PUB

De acordo com notícias vindas a público, “há povoações que ainda continuam sem internet e sem serviços básicos de comunicação, acrescendo que a ausência de telefone deixa ainda mais a população idosa isolada e incontactável, com os respetivos problemas que podem advir em termos de insegurança e em situações de emergência”. 

Na pergunta dos Verdes salienta-se que embora a Altice, tenha vindo a público referir que 99,2% das telecomunicações afetadas pelos incêndios de 15 e 16 de outubro, já estão restabelecidas, tendo mesmo o seu diretor executivo falado em 100%, “o Partido Ecologista Os Verdes continua a receber queixas da população relativamente à falta de telecomunicações, em particular o serviço de telefone fixo e de acesso à internet que utilizam as ligações por cabo telefónico.

PUB

A pergunta formulado foi a seguinte:

“1- Tendo em consideração que já passaram quase quatro meses desde os incêndios de 15 de outubro e existem pessoas sem acesso a telecomunicações, em particular telefone de rede fixa, para quando está prevista a totalidade da sua restituição?

PUB

2- Tendo em consideração que, as pessoas estão a ser empurradas para serviços indesejados, que incluem mais do que o próprio telefone fixo (internet, televisão, telemóvel), com custos acrescidos e períodos de fidelização injustos, que medidas estão a ser tomadas para evitar que as populações não sejam ainda mais prejudicadas?”

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here