“Sertã, uma viagem pela ortografia e etimologia”, por Sartagografia

A grafia do nome do concelho foi mudando ao longo dos séculos. No período romano, é muito provável que se escrevesse Sartago, depois evoluindo para Sartagine (século XIII). No tempo do rei D. Dinis, os documentos régios grafaram Sartaãe, enquanto nos reinados seguintes surge, sucessivamente, Sartaã (D. Afonso IV) e Sartãe (D. Afonso V).

PUB

PUB

O rei D. Manuel I no foral que passa à vila, em 1513, grafa Sertaãe, enquanto os dicionários do século XVIII registam Certãa e Sertãa.

Durante o século XIX, generaliza-se a grafia Certã, embora por vezes apareça nalgumas obras o termo Sertan.

PUB

A Câmara Municipal manteve a grafia Certã até 1931, ano em que o executivo liderado por João Pinto de Albuquerque decidiu passar a grafar definitivamente Sertã. Isso mesmo é visível na ata da reunião de Câmara de 14 de setembro de 1931, a primeira onde surge Sertã com s e não com c.

Para saber mais visite: www.sartagografia.pt e/ou no página do facebook

PUB
APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser), através do IBAN PT50001800034049703402024 (conta da Médio Tejo Edições) ou usar o MB Way, com o telefone 962 393 324.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here