- Publicidade -
Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

“Sertã, uma viagem pela ortografia e etimologia”, por Sartagografia

A grafia do nome do concelho foi mudando ao longo dos séculos. No período romano, é muito provável que se escrevesse Sartago, depois evoluindo para Sartagine (século XIII). No tempo do rei D. Dinis, os documentos régios grafaram Sartaãe, enquanto nos reinados seguintes surge, sucessivamente, Sartaã (D. Afonso IV) e Sartãe (D. Afonso V).

- Publicidade -

O rei D. Manuel I no foral que passa à vila, em 1513, grafa Sertaãe, enquanto os dicionários do século XVIII registam Certãa e Sertãa.

Durante o século XIX, generaliza-se a grafia Certã, embora por vezes apareça nalgumas obras o termo Sertan.

- Publicidade -

A Câmara Municipal manteve a grafia Certã até 1931, ano em que o executivo liderado por João Pinto de Albuquerque decidiu passar a grafar definitivamente Sertã. Isso mesmo é visível na ata da reunião de Câmara de 14 de setembro de 1931, a primeira onde surge Sertã com s e não com c.

Para saber mais visite: www.sartagografia.pt e/ou no página do facebook

Sartagografia é um projeto independente que pretende recolher, tratar, preservar e divulgar a cultura do concelho da Sertã. O projeto segue uma linha etnográfica e abarca diversas realidades. A palavra Sartagografia é estilisticamente um neologismo, inspirado na expressão Olisipografia, e significa qualquer coisa como "o estudo, ou conjunto dos estudos, relacionados com a Sertã".

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome