Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Agosto 3, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Situação normaliza e piscinas municipais reabriram ao público

Depois de estarem encerradas durante o fim de semana, as Piscinas Municipais da Sertã reabriram normalmente no dia 19 de julho, segunda feira, por indicação da Delegada de Saúde Pública do ACESPIS, Manuela Vaz.

- Publicidade -

Conforme explicação da autarquia, o encerramento temporário das piscinas cobertas e descobertas foi motivado por um contacto com um caso alegadamente positivo que, após testagem, resultou negativo. Também os contactos foram testados e todos resultaram negativos.

Regressa assim à normalidade o funcionamento das piscinas, sendo cumpridas as normas de segurança vigentes. Tal como estava já implementado, o Município da Sertã é responsável pela higienização e desinfeção dos espaços (sanitários, corrimões, espreguiçadeiras, etc.) e pela disponibilização de soluções desinfetantes cutâneas e toalhetes que permitam a desinfeção das mãos, à entrada e dentro das instalações.

- Publicidade -

As zonas de circulação estão definidas com marcação de setas, havendo apenas um sentido de circulação. O controlo de ocupação da piscina descoberta é feito pela receção e a praia fluvial possui um sistema de sinalização através de bandeira, à entrada da praia.

Bandeira verde significa ocupação baixa (⅓ da lotação máxima), bandeira amarela, ocupação elevada (⅓ – ⅔ da lotação máxima) e bandeira vermelha, ocupação plena.

A Câmara lembra que não é permitida a utilização de balneários nem vestiários, podendo apenas ser usados os sanitários. Também não é permitida a utilização de equipamento de uso coletivo, fora de água e dentro de água (bolas, bóias, colchões, etc).

De 19 a 25 de julho decorre mais uma semana do SunSert, programa de animação das piscinas e praia fluvial, que contempla diferentes estilos musicais como jazz, jukebox, música contemporânea, música portuguesa, trovas e cantares.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome