PUB

Sertã | Projeto de maquinação CNC vence 3ª edição do concurso Moovideias

A sessão de encerramento do concurso Moovideias, concurso de ideias estendido nesta 3ª edição aos concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei com o apoio da Pinhal Maior, determinou as ideias vencedoras. Esta terça-feira, dia 6, no auditório da Escola Secundária da Sertã, os finalistas puderam apresentar a sua ideia de negócio. Nesta edição foi Tiago Francisco a convencer o júri com o projeto “Maquinação CNC” para criação de peças de decoração e afins personalizadas, ganhando 40 horas de mentoria para consolidação da sua ideia de negócio.

PUB

Tiago Francisco, técnico de CNC,  e cuja sede do projeto será em Palhais, Sertã, explicou ao júri que pretende conseguir aconselhamento e parcerias, que possam ajudar na construção de um negócio sólido. Referiu ainda a mais-valia de ter o dinheiro para investir, bem como o local, e dois outros elementos previstos para integrar a equipa.

O segredo está na capacidade de personalização da oferta de serviços aos clientes, mediante os seus pedidos e na aposta de design moderno.

PUB

Foto: mediotejo.net

Em segundo ficou o projeto “Spirulina”, já o terceiro lugar foi dividido pelo projeto “Educação pela Arte” e “Tasca da Tété”. Receberam ambos livros de coaching para auxiliar no desenvolvimento da ideia/projeto.

“Spirulina”, de Serge Almeida, pretende ser um projeto de produção, comercialização e certificação deste componente verde e altamente proteico, já incluído em suplementos alimentares e muito utilizado nas dietas vegetarianas. Serge Almeida pretende comercializar spirulina em saquetas em pó, com 100g, ajudando a colmatar carências nutricionais e outras necessidades da população alvo.

Por outro lado, Erica Luz, educadora de infância, ilustradora, costureira, entre outras facetas profissionais que são muitas, decidiu deixar Lisboa para morar na Sertã. Pretende conseguir apoio das autarquias para implementação deste seu projeto, que funcionaria como complemento à educação e desenvolvimento de crianças e jovens entre os 0 e 15 anos.

O seu projeto educativo pretende ainda dar oportunidade às famílias de poderem deixar as crianças num atelier com melhores condições, frequentando as suas atividades que incluem as artes, como a pintura e a música.

Foto: mediotejo.net

Já a “Tasca da Tété” pretende ser um projeto de melhoria a nível de maquinaria e outras infraestruturas num estabelecimento a abrir em Alferrarede Velha pelos proponentes Teresa Duarte e Nuno Oliveira. Teresa é cozinha há mais de 20 anos e pretende congregar naquele restaurante vários petiscos e iguarias de comida tradicional portuguesa.

Os prémios foram entregues por Vera Moleiro, técnica da Associação Pinhal Maior, sendo que os restantes participantes receberam também prémios de participação. Foram ainda apresentados, mas sem classificação, os projetos “Legends – Cerveja Artesanal” de João da Luz, e o projeto “Lets Go Kids Park”, de Marta Marques e Sara Patrão, vindas do concelho de Mação, onde querem implementar uma quinta pedadógica, suportada ainda por um site agregador de experiências e atividades para ocupação das crianças e famílias.

Na abertura da sessão esteve o presidente da CM Mação, Vasco Estrela, bem como Paulo Farinha Luís em representação da CM Sertã, na ausência de José Farinha Nunes. Também Ricardo Aires, presidente da CM Vila de Rei, esteve presente na iniciativa.

Foto: mediotejo.net

Depois de Paulo Farinha Luís, em representação do Município da Sertã na ausência do presidente de Câmara, dar as boas-vindas aos presentes no auditório e salientar o quão importante o empreendedorismo é para a dinamização do território, Vasco Estrela, presidente da CM Mação, e em representação da Pinhal Maior, referiu que “cada vez mais temos de nos ir habituando a esta nova realidade e este tipo de concursos serve para estimular o que é a iniciativa de cada um”.

“Vale sempre a pena apresentar as ideias e propostas, independentemente de, no fim, em qualquer concurso, ter de haver aqueles que ganham. E os outros que não ganham, não significa que as ideias sejam muito piores, mas, como em tudo na vida, não se pode responder sempre positivamente a todas essas ideias”, observou.

O autarca deixou ainda mensagem para “o dia seguinte”, mencionando a necessidade de o “ecossistema empreendedor” valorizar as ideias que vão sendo apresentadas,deixando desafio para que possam continuar a surgir ideias e iniciativas de valorização dos recursos endógenos da região “para que possam ser melhor aproveitados”.

Como tal, Vasco Estrela considera que “podemos ter muitas ideias, muitas iniciativas, mas há uma coisa indesmentível: nós vivemos num território, e não podemos viver de costas voltadas para este mesmo território e para aquilo que tem para nos oferecer”, disse, acreditando que foi este facto de “viver de costas voltadas para o território” que levou à situação atual de despovoamento e consequências deste, como o caso dos incêndios florestais.

Foto: mediotejo.net

Em representação da CIMT esteve Hugo Rodrigues, técnico que acompanha os projetos de empreendedorismo na entidade e que explicou o enquadramento do “projeto maior” que é o “Médio Tejo Vive o Empreendedorismo”, e que consiste num conjunto de ações, que envolvem um concurso de ideias de negócio – o MoovIdeias – associado a um programa de aceleração de ideias e a um conjunto de sessões temáticas e workshops, focados no desenvolvimento do Ecossistema Empreendedor do Médio Tejo.

A sessão incluiu ainda, antes do período de avaliação das ideias pelo júri e posterior entrega de prémios, uma sessão sobre “Empreendedorismo Baseado em Evidências”, por José Rui Soares da B’TEN, e outra sobre “Quais os fatores a ter em conta na apresentação do seu projeto?”, por Diogo Bhovan, da empresa Cron.Studio.

Foto: mediotejo.net

Houve ainda tempo para ouvir um caso de empreendedorismo de sucesso, na primeira pessoa, com a participação de Filipe Rodrigues, um dos sócios-fundadores da empresa de certificação energética Classe A+, sediada no concelho de Abrantes, que contou a história da empresa desde a ideia ao arranque da empresa no terreno.

No final, o coordenador da Pinhal Maior, Augusto Nogueira, deixou um balanço “muito positivo” quanto à adesão a esta iniciativa estendida aos concelhos da Sertã, Vila de Rei e Mação, tendo contado 15 ideias submetidas a concurso.

PUB
PUB
Joana Rita Santos
Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).