Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Setembro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | População do Trízio alvo de ação de sensibilização sobre “Aldeia Segura – Pessoas Seguras”

Ainda em plena época de incêndios, a população da localidade de Trízio, na União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais recebe no dia 27 de agosto uma ação de sensibilização alusiva ao programa “Aldeia Segura – Pessoas Seguras”. A iniciativa decorre às 15:00, no Centro Social, Cultural, Recreativo e Desportivo do Trízio.

- Publicidade -

“Tendo como pressupostos a prevenção de comportamentos de risco e adoção de medidas de autoproteção e de preparação face a incêndios rurais, a sessão irá dar a conhecer o plano operacional de evacuação e o local de abrigo”, explicam os promotores, Município da Sertã e União de Freguesias.

Conta-se com a presença de Rogério Fernandes, vereador da Proteção Civil, do representante da ANEPC (Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil), Bombeiros Voluntários de Cernache do Bonjardim e técnicas do Gabinete Florestal.

- Publicidade -

Esta ação de sensibilização surge na sequência do esforço conjunto do Município da Sertã e da União de Freguesias de Nesperal e Palhais para implementar o programa “Aldeia Segura” no Trízio.

Trata-se de um “Programa de Proteção de Aglomerados Populacionais e de Proteção Florestal” que estabelece “medidas estruturais para proteção de pessoas e bens, e dos edificados na interface urbano-florestal, com a implementação e gestão de zonas de proteção aos aglomerados e de infraestruturas estratégicas, identificando pontos críticos e locais de refúgio”.

Foi criado pela Resolução do Conselho de Ministros nº 157-A/2017, de 27 de outubro​ e a sua execução decorre ao abrigo de um Protocolo entre a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE).

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome