Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Agosto 4, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Nadadoras do CCD Sertã no Campeonato Nacional de Juvenis Absolutos

As nadadoras Laura Catarino e Marta Matias representaram o CCD Sertã nos Campeonatos Nacionais de Juvenis/Absolutos de Portugal – OPEN que decorreu nas piscinas do Jamor de 26 a 29 de julho.

- Publicidade -

Laura participou em três provas: nos 50 costas onde registou um novo recorde pessoal com o tempo de 32,91 correspondente à 33ª posição absoluta, nos 200 costas registou o tempo de 2:34,67 que lhe deu o 12.º lugar juvenil e, nos nos 100 costas fez 1:11,27, ficando em 11º lugar, a um lugar do acesso à final juvenil. Por sua vez, Marta Matias registou o tempo de 1:04,75 nos 100 livres, classificando-se em 33º lugar juvenil.

- Publicidade -

Em nota de imprensa, a autarquia destaca ainda o desempenho do ex-nadador da Sertã, Ricardo Pereira, que agora representa o Benfica e que treina no Centro de Alto Rendimento da FPN de Rio Maior: nos Recordes Nacionais obteve um novo máximo nos 100 bruços juvenil B com o tempo de 1:06,16, tendo vencido também 200 bruços, apesar de nadar contra os Juvenis A. Nestes campeonatos participaram cerca de 815 nadadores, 80 dos quais estrangeiros.

A participação neste campeonato assinalou o final de mais uma longa época da Natação onde, para além das provas regionais já habituais, o CCD Sertã se fez representar também nas principais provas do calendário nacional: nos dois zonais, o de infantis e o de juvenis, no nacional de infantis e nos dois nacionais de juvenis.

Para os jovens nadadores é tempo de férias, mas para o master Hugo Afonso a jornada ainda não terminou. O atleta participará nos 3000m no Nacional Master de águas abertas que decorre nos Açores a 4 de agosto e em setembro no Europeu, que terá lugar na Eslovénia.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome