Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Incêndios não afetaram sucesso do Festival do Maranho (c/ fotogaleria)

“Um verdadeiro sucesso”, “ultrapassou todas as expetativas”, são algumas frases que resumem o balanço da 9ª edição do Festival de Gastronomia do Maranho que decorreu de 18 a 21 de julho na Alameda da Carvalha, na Sertã.

- Publicidade -

Isto apesar do drama dos incêndios que assolou o concelho no fim de semana. A Câmara, promotora do evento, temeu que os incêndios afetassem o certame, mas tal não aconteceu. A única alteração foi o cancelamento do espetáculo piromusical que deveria encerrar o festival no dia 21 perto da meia noite. Por precaução, tendo em conta as condições atmosféricas e a ocorrência de incêndios, foi decidido cancelar o espetáculo.

“Durante os quatro dias de festa na Sertã, o Maranho voltou a ser o Rei no Festival de Gastronomia, cuja nona edição constituiu um verdadeiro sucesso”, lê-se na nota de imprensa de balanço do evento que durante quatro dias atraiu à vila da Sertã milhares de pessoas.

- Publicidade -

Promovido pelo município da Sertã, este certame volta, deste modo, “a cumprir inteiramente a sua missão de divulgação da Gastronomia e de todas as potencialidades do concelho”, nota a organização.

Numa aposta centrada na juventude, a organização contratou artistas do agrado das camadas jovens, o que foi bastante elogiado pelo público.

Os D.A.M.A. no primeiro dia, Bárbara Bandeira e Áurea no segundo dia, Popxula e Blaya no sábado e os Amor Electro, a fechar, levaram o público ao rubro e lotaram o recinto em todas as noites do festival.

Este ano, o certame contou também com a emissão em direto do programa «Aqui Portugal», na RTP1 e RTPi, durante o dia 20 de julho, conduzido pelos apresentadores Catarina Camacho, Joana Teles e Helder Reis.

Mais de cem expositores, restaurantes, bares e tasquinhas ocupavam a zona ribeirinha da Alameda da Carvalha. Para além do Maranho, podiam ali ser encontradas outras iguarias como Bucho Recheado, Sopa de Peixe, Cartuchos de Amêndoa de Cernache do Bonjardim, Filhós, Coscoréis e Merendas Doces.

Na sessão de inauguração, em que esteve presente a Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Maria do Céu Albuquerque, ex-autarca de Abrantes, o presidente da Câmara Municipal da Sertã, José Farinha Nunes, destacou a “importância que o Festival de Gastronomia do Maranho tem vindo a granjear ao longo dos últimos anos. (…) O turismo gastronómico é uma das melhores maneiras de descobrir a cultura e o estilo de vida de uma região. A aposta no turismo tem sido um dos principais eixos estruturantes da ação do Município da Sertã, referiu o autarca, reforçando que “temos de ser capazes de proporcionar a todos aqueles que nos visitam experiências únicas e locais autênticos e, nesse particular, o Concelho da Sertã tem condições de exceção para abraçar esse desafio”.

Aproveitando a presença do membro do Governo, o presidente da Câmara Municipal da Sertã apontou ainda questões que importa resolver “para que o turismo seja mais”, referindo-se especificamente à EN238, “uma via fundamental para o desenvolvimento do nosso turismo e de toda a região. Urge melhorar esta estrada e garantir a sua requalificação, pois o atual traçado e as condições da via não são as ideais. O Governo de Portugal tem de olhar de outra forma para a questão da EN238 e assegurar a resolução deste problema”, frisou o autarca.

A Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, referiu-se à valorização dos recursos endógenos como sendo “capital para conseguirmos fazer diferente, ganhando um sentido de pertença a uma comunidade, onde cada uma tem o seu papel (…) para chegarmos mais longe”.

Maria do Céu Albuquerque sublinhou a necessidade de humanização dos territórios que se concretiza em “sermos capazes de ter um orgulho imenso na nossa identidade, na nossa valorização, tradição, gastronomia e património, e com isso acrescentarmos valor, para podermos ser mais competitivos ao nível da valorização turística e atracção de investimentos.”

Ao longo da sua intervenção, a representante do governo mencionou Nuno Álvares Pereira e a sua qualidade de estratega, como incentivo para desenvolver uma estratégia para a região, “para fazer diferente (…), para ir mais longe”. No final da sua intervenção, Maria do Céu Albuquerque salientou que “quando falamos do Maranho da Sertã, falamos do Maranho do Médio Tejo, falamos do Maranho da Região Centro e falamos do Maranho de Portugal”.

Tendo a Gastronomia e o Maranho como nota dominante, a programação do Festival incluiu dois showcookings. O primeiro foi dinamizado no segundo dia do festival pela Chef Tia Cátia, que apresenta “Os Segredos da Tia Cátia”, um dos programas de televisão de cozinha mais vistos pelos portugueses, no canal 24Kitchen. Esta Chef confecionou duas propostas: Sushi de Maranho com Molho de Abacate e Maranho com Chili, que fizeram as delícias de quem assistiu e provou. O segundo showcooking foi dinamizado pelo Chef Joe Best, no dia 20 de julho, com utentes da APPACDM da Sertã que prepararam pizzas e crepes de Maranho.

Além dos cabeças de cartaz, o programa foi uma verdadeira montra musical do Concelho da Sertã, tendo registado a participação da Filarmónica União Sertaginense, Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense, Brass Fusion, Grupo de Animação Seca Adegas, Associação de Tambores de Casal da Madalena, Grupo de Música Popular de Cernache do Bonjardim , Grupo de Concertinas da Sertã, Escola de Acordeão da Sertã e da Tocata do Rancho Folclórico de Pedrógão Pequeno. De referir também a presença dos DJ’s Silver Fox e Hugo Rafael, que encerraram as noites de 19 e 20 de julho, respetivamente.

Para além da gastronomia e da música, o festival teve também uma componente desportiva com a realização da terceira edição da Corrida e Caminhada do Maranho, no dia 20 de julho, a habitual mega aula de Zumba, no dia 21 de julho, e a possibilidade de praticar diversos desportos como escalada, rapel e sup paddle.

Durante o festival desfilou pelo recinto a mascote do Maranho que fez as delícias de todos, sendo muito requisitado para fotos. No recinto existia ainda a “Quinta da Alegria” e o Espaço Selfie.

À semelhança das edições anteriores, o Festival de Gastronomia do Maranho contou com a participação da Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada, cujo valor de vendas de leitão reverteu para uma IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social) do Concelho da Sertã, nomeadamente o Centro Social do Troviscal.

Durante o festival, foram entregues os prémios aos vencedores do Concurso Gastronómico Tradições de Celinda, promovido pelo Município da Sertã e pela AproSer – Associação de Produtores do Concelho da Sertã. Na categoria de “Entradas” venceu o Queijo fresco de cabra com doce de abóbora, confeccionado pelo Centro Social do Alcainho, que venceu também a categoria de “Sopas” com a Sopa Tradicional. No “Prato Principal” venceu o Maranho das Carnes Simões. Na categoria de “Doces” a Pastelaria Império venceu com os Cartuchos de Amêndoa de Cernache do Bonjardim. O granizado de mel e hortelã confeccionado pelo Centro de Apoio à 3.ª Idade de Sant’Ana venceu a categoria de “Bebidas”.

 

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome