Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Freguesia e população de Cernache unidas pelo futuro do Instituto Vaz Serra

O auditório Matias Correia foi pequeno para acolher toda a população mobilizada em prol da continuidade do Instituto Vaz Serra (IVS), em Cernache do Bonjardim. Apesar das muitas dúvidas levantadas quer pela União de freguesias, quer por populares, José Farinha Nunes, autarca da Sertã, referiu na sessão haver uma proposta que assegura turmas para o ano 2018/2019, após o qual o colégio transitará para o ensino público, por indicação do Ministério da Educação.

- Publicidade -

Recorde-se que este caso começou logo após o anúncio de cortes do Estado nos contratos de associação com colégios privados e, desde 2016, tem estado em causa a continuidade do IVS, pelo que a autarquia já colaborou no financiamento da manutenção de turmas juntamente com o grupo GPS, detentor do colégio.

Na sessão, Filomena Bernardo admitiu não ter respostas, nem garantias, e ter sido esse o motivo da convocatória. A presença inesperada de José Farinha Nunes, presidente da CM Sertã, trouxe algumas novidades após contacto com as entidades entre os dias 18 e 21 de maio.

- Publicidade -

Foto: mediotejo.net

O autarca referiu que o Ministério da Educação vai financiar seis turmas no ano letivo 2018/2019, sendo “duas turmas de 5º, duas turmas de 6º e duas turmas de 7º ano”, enquanto o grupo GPS “suporta a diferença”, ou seja, as turmas de 8º, 9º, 12º anos.

Quanto a uma possível turma de 10º ano, José Farinha Nunes referiu que a Câmara estará disposta a financiar para garantir a sua abertura.”A Câmara até hoje tem feito tudo para que o ensino se mantenha com o máximo de alunos aqui em Cernache do Bonjardim. É nessa direção que continuamos a trabalhar e é isso que nós pretendemos, vamos continuar a lutar para que a maior parte dos alunos continuem a estudar em Cernache do Bonjardim”, referiu, notando a existência de “dois polos de educação no concelho”, o da Sertã e o de Cernache do Bonjardim.

O IVS, que entrou em funcionamento em 1950 pelas mãos do fundador Libânio Vaz Serra, tem no momento cerca de 320 alunos inscritos e os pais e encarregados de educação recusam ter de matricular os filhos no Agrupamento de Escolas da Sertã. Foto: mediotejo.net

A transição para ensino público acontecerá, por proposta do Ministério da Educação, “se a autarquia adquirir as instalações”, passando o IVS a integrar o Agrupamento de Escolas da Sertã. “O ano 2018/2019 é o último ano em termos de ensino privado, passará depois a ensino público, e durante este próximo ano vai ser feita essa integração”, explicou.

O autarca afirmou que as instalações nunca estiveram em causa, referindo que serão pedidas avaliações por parte da CM Sertã e do grupo GPS, para a aquisição, e caso não se chegue a acordo, diz existirem outras opções além daquele edifício, caso de salas do Seminário das Missões. “Estou convencido que haverá entendimento do proprietário do IVS e que chegaremos a um acordo com facilidade”, disse, otimista sobre o facto.

Comissão surge por proposta da UFCBNP

Isabel Martins, presidente da Associação de Pais do IVS, mostrou-se visivelmente indignada com a falta de garantias quanto à continuidade do colégio. Foto: mediotejo.net

Foram muitas as intervenções de cernachenses preocupados com a falta de garantias, havendo muita indignação e receio nas palavras dirigidas ao autarca da CM Sertã.

Isabel Martins, presidente da Associação de Pais do IVS, disse sentir-se “defraudada” e referiu-se à solução anunciada por José Farinha Nunes como “um remendo por um ano”, crendo que o assunto já deveria ter sido resolvido há mais tempo.

A responsável disse ainda que “pais e alunos estão desgastados” e os alunos “vão desmotivados para a época de exames por não terem garantias”.

Por seu turno, Filomena Bernardo, presidente da União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais (UFCBNP) mostrou-se satisfeita com “adesão da população”, mas partilha da opinião da presidente da Associação de Pais do IVS. Neste sentido, propôs a criação de uma Comissão de acompanhamento, uma vez que entende “continuar a não ter respostas e garantias” e tendo intenção de procurá-las junto do Ministério da Educação e do GPS.

A presidente da UFCBNP mostra-se determinada a juntar-se à comunidade nesta luta pelo futuro do IVS e ensino em Cernache do Bonjardim. No final da sessão afirmou “Não vamos deixar morrer Cernache, nunca!”. Foto: mediotejo.net

“A Comissão vai ser importante (…) para ter certezas, para focar alguns aspetos que não foram focados na reunião”, nomeadamente para saber “se não é só uma situação provisória, se para o ano estaremos outra vez nesta instabilidade, nesta luta”, frisou Filomena Bernardo.

A Comissão será composta por Isabel Martins, presidente da Associação de Pais do IVS, João Batista, em representação dos empresários da vila, Joaquim Patrício, enquanto representante do Centro Social São Nuno de Santa Maria e Matilde Moreira, presidente da Associação de Estudantes do IVS.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Caros Amigos, sou Antigo Aluno do IVS e tenho todo o gosto em falar disso pois também o IVS tem, quase,
    a minha idade !
    Julgo que para resolver a situação que vem de há alguns anos(2016?) seria a população se interessar por
    adquirir o IVS! Como? Terão que ser as pessoas a decidir. Se os Pais e Encarregados de Educação acham
    que não beneficiam com a mudança para a Sertã, o melhor será que os seus filhos continuem aí!
    Nem se resolveria a situação através do Seminário das Missões nem da CMSertã apesar da sua vontade
    em apoiar os alunos ! Julgo que não apoiaria, afinal, o próprio Instituto Vaz Serra !

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome