Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Festival Provart regressa de 2 a 4 de setembro com nova localização e Ena Pá 2000

Após um ano de pausa forçada devido à pandemia, o Provart – Festival de Cerveja Artesanal regressa à Sertã de 2 a 4 de setembro, com a tradicional animação musical e desta vez com nova localização: a Rua da Beira Baixa, na margem da Ribeira Grande.

- Publicidade -

O Provart assume-se como “uma das experiências de cerveja artesanal e de convívio de referência no interior do país”, constituindo uma “viagem à cultura da cerveja artesanal acompanhado de boas vibrações e de beleza natural.” Para além da cerveja artesanal com a presença de oito cervejeiros, o festival conta com “música ao vivo, boa gastronomia e boa disposição”, realça o Município da Sertã, que promove o evento em parceria com a Get Mood.

Além de decorrer num espaço diferente, esta edição do Provart apresenta regras relativamente à entrada no recinto cuja lotação é limitada: é obrigatória a apresentação de Certificado Digital Covid ou teste negativo (resultado com menos de 48 horas), uso obrigatório de máscara nos locais de passagem comum (corredores, entrada e saída do recinto) e a entrada é feita mediante apresentação de fita/bilhete. O bilhete diário custa 3€ e garante a oferta do copo do festival. Os bilhetes podem ser adquiridos no local ou antecipadamente na TicketLine e na Casa da Cultura da Sertã (a partir de 30 de agosto).

- Publicidade -

O cartaz musical apresenta no primeiro dia do festival, 2 de setembro, Tilt às 20h30 e Frankie Chavez às 22h30. A 3 de setembro, Nightmare & Memphis Two tocam às 20h30 e Portuguese Pedro sobre a palco às 22h30. A 4 de setembro, último dia do festival, DJ Bothas abre o programa musical às 17h30, seguindo-se The Pilinha às 20h30. A partir das 22h30, os Ena Pá 2000 fazem o espetáculo de encerramento do Provart.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome