Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Faleceu Comandante Manuel de Oliveira, dos Bombeiros Voluntários

A população sertaginense mostrou-se abalada com a morte do Comandante Manuel de Oliveira, que faleceu esta terça-feira, aos 72 anos, vítima de doença prolongada. A informação foi avançada pela corporação dos Bombeiros Voluntários da Sertã nas redes sociais, e confirmada ao nosso jornal pelo atual comando. As exéquias fúnebres realizam-se esta sexta-feira, dia 2 de novembro, pelas 10h00 na Capela de Santo Amaro (em frente às antigas instalações da Associação Humanitária dos BV da Sertã).

- Publicidade -

“É com profundo pesar que informamos o falecimento do Comandante do Quadro de Honra, Manuel Guilherme Alves de Oliveira. Logo que seja oportuno, informar-se-à o horário e local das exéquias fúnebres”, pode ler-se na página de Facebook dos Bombeiros da Sertã.

Segundo novo comunicado da AHBV Sertã o corpo estará em câmara ardente no dia 1 de novembro, a partir das 13h00, na Capela de Santo Amaro, na vila da Sertã.

- Publicidade -

Segundo a imprensa regional, o muito reconhecido por todos Comandante Oliveira, faleceu na manhã desta terça-feira, dia 30 de outubro, em Castelo Branco, onde estava internado.

Ingressou nos Bombeiros da Sertã em 1977, e chegou a assumir, em 1979, funções de comando, como adjunto. Em 1982, foi promovido a segundo comandante, chegando ao lugar de comandante em 1986.

Segundo o jornal A Reconquista, Manuel de Oliveira chegou a sofrer “um grave acidente” que o levou a ficar numa cadeira de rodas, ainda que isso não lhe tenha tirado “a força da liderança”.

Passou ao Quadro de Honra dos Bombeiros Voluntários da Sertã em junho de 2005, segundo a mesma fonte.

 

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome