Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Cristina Nunes (PS) apela a maior adesão ao projeto Bio Berço da Lusitânia

Durante a passada reunião de executivo camarário da Sertã, a vereadora do Partido Socialista Cristina Nunes focou a sua intervenção antes da ordem do dia no projeto que promove a prática de agricultura biológica e a venda de excedentes, o Bio Berço da Lusitânia. Um projeto da Pinhal Maior – Associação de Desenvolvimento do Pinhal Interior Sul que pretende envolver as comunidades dos concelhos de Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã, Vila de Rei e Mação. Para Cristina Nunes a continuidade deste projeto depende da “maior adesão da população”, passando pela sensibilização das mais-valias que se poderão tirar deste tipo de prática agrícola.

- Publicidade -

A vereadora lembrou também o facto de a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo também ter “apadrinhado” este projeto enquanto entidade colaboradora, recordando ainda as inúmeras sessões que tiveram lugar no concelho da Sertã no primeiro semestre deste ano “em que estiveram vários participantes”.

No entanto, Cristina Nunes crê que a continuidade do projeto dependerá da motivação e divulgação junto das pessoas, pois “este é um projeto que poderá dar o retorno financeiro às pessoas, aos agricultores, que não precisam ter a agricultura como sua atividade principal”, disse, acrescentando que “podia ser uma mais-valia para a Sertã, uma vez que temos produtos produzidos através da agricultura biológica”.

- Publicidade -

A vereadora socialista lançou assim “o repto” pois “o projeto só poderá continuar se houver pessoas interessadas em aderir”, frisou. “O mercado procura e há todo um projeto desenvolvido pela Pinhal Maior em que o escoamento é garantido. Falta a matéria-prima” para garantir o futuro desta plataforma.

Foto: mediotejo.net

Por outro lado, Cristina Nunes afirmou que, ao haver maior adesão, “seria muito positivo para o território, que foi tão fustigado pelos incêndios do ano passado. Seria uma forma de as pessoas conseguirem tirar uma mais-valia dos seus terrenos”, argumentou.

José Farinha Nunes (PSD), presidente da CM Sertã, disse concordar “perfeitamente” com Cristina Nunes (PS), assumindo que “as pessoas não têm aderido muito” à iniciativa, mas deixou o compromisso de o município trabalhar numa solução para alterar este panorama, nomeadamente “continuar a sensibilizar mais” a comunidade.

Recorde-se que o projeto “Bio Berço da Lusitânia”, uma iniciativa da Pinhal Maior lançada este ano, nada mais será que uma plataforma que pretende apoiar todos os agricultores/pessoas interessados neste tipo de produção, proporcionando a devida formação, apoiando na certificação de produtores e terrenos e aconselhando sobre as melhores espécies a produzir.

A Pinhal Maior será ainda interveniente na recolha e comercialização dos produtos, através de uma central de recolha onde se procederá ao embalamento e entrega dos produtos para venda, que ao que o mediotejo.net pôde apurar se instalará no Centro de Negócios/Ninho de Empresas do concelho de Mação.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome