Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | Concurso Nacional de Leitura em voz alta já tem vencedores

Apresentaram-se 71 trabalhos (56 individuais e 15 coletivos) ao Concurso Nacional de Leitura em Voz Alta, promovido conjuntamente pela Câmara Municipal da Sertã (através da Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes) e pela empresa Palser, também sediada na Sertã.

- Publicidade -

Já são conhecidos os vencedores da primeira edição deste concurso, cujos resultados foram revelados esta semana pela organização. Na categoria de “Leitura Individual”, o primeiro lugar coube à Biblioteca Escolar de Paços de Brandão, do Agrupamento de Escolas de Paços de Brandão, que receberá um prémio de mil euros destinados exclusivamente à compra de livros para a respetiva biblioteca ou para ações que visem a promoção do livro e da leitura junto da comunidade escolar.

No segundo lugar do pódio individual posicionou-se a Biblioteca Escolar Dr. Hipólito de Carvalho, da Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite (São João da Madeira), que receberá 250 euros em livros. Já na terceira posição ficou a Biblioteca da Escola Secundária José Afonso, do Agrupamento de Escolas José Afonso, em Loures, que terá direito a uma coleção de livros.

- Publicidade -

Na categoria de “Leitura Coletiva” o júri decidiu não atribuir o 1.º e o 2.º prémios, pelo facto de nenhum dos trabalhos a concurso apresentar qualidade meritória. Foi apenas entregue o terceiro prémio (uma coleção de livros) à Biblioteca Escolar da Escola Secundária Damião de Goes, em Alenquer.

O júri entendeu que o valor somado dos dois primeiros prémios coletivos (1250 euros no total) fosse distribuído equitativamente entre os trabalhos classificados do 4.º ao 12.º lugar da categoria «Leitura Individual», “devido à elevada qualidade das propostas apresentadas”. Assim, cada uma destas bibliotecas escolares receberá um conjunto de livros no valor de 139 euros.

Os trabalhos premiados pertencem às seguintes instituições: Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel (Carreira – Leiria); Biblioteca Escolar Professor Armando de Lucena (Escola Básica e Secundária Professor Armando de Lucena – Malveira); Biblioteca Escolar Navegar da Escola Secundária do Restelo (Lisboa); Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas Dr. João de Araújo Correia (Peso da Régua); Biblioteca Escolar Cândida Reis (Escola Básica e Secundária Dr. Ferreira da Silva – Cucujães); Biblioteca da Escola Básica do Viso (Viseu); Biblioteca da Escola Secundária de Barcelos; Biblioteca Escolar da Escola Básica e Secundária Dr. Pascoal José de Mello (Ansião) e Biblioteca Escolar da Escola Secundária de Albufeira.

O júri do concurso foi composto pelo profissional de leitura em voz alta Rodolfo Castro, por Ana Sofia Marçal, responsável pela Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes, e por Mónica Fernandes, em representação da Palser.

Segundo os números da primeira edição deste concurso nacional, os 71 trabalhos eram provenientes de Bibliotecas Escolares distribuídas de norte a sul de Portugal, sendo de registar também a participação dos Açores.

A adesão a esta iniciativa superou as expectativas dos organizadores, tendo em conta a situação pandémica em que decorreu. Para o próximo ano letivo, está já garantida a realização da segunda edição do Concurso Nacional de Leitura em Voz Alta.

Os vencedores da primeira edição, tanto na categoria individual como coletiva, receberão os seus prémios (livros), além dos respetivos certificados durante a próxima edição da Maratona de Leitura (data a anunciar brevemente).

Os alunos das bibliotecas escolares distinguidos na categoria individual e coletiva terão ainda direito a participar na formação de leitura em voz alta, ministrada por Rodolfo Castro, que decorrerá também no âmbito da Maratona de Leitura.

 

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome