- Publicidade -

Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Sertã | Bloco de Esquerda surpreso por não haver habitação municipal no concelho

“Não existem agregados familiares no concelho da Sertã que sofram de carência habitacional?” A questão é lançada pela Distrital de Castelo Branco do Bloco de Esquerda num comunicado enviado à imprensa e surge depois do Grupo Parlamentar desta força política ter dirigido a todas as Câmaras Municipais do país várias perguntas sobre a habitação municipal nos respetivos concelhos.

- Publicidade -

“O Município da Sertã, na sua resposta, afirmou que não possui habitação municipal nem estratégica local de habitação submetida ao IHRU no âmbito do Programa 1.º Direito, o que nos surpreende bastante. Não existem agregados familiares no concelho que sofram de carência habitacional?”, questiona o BE.

Os bloquistas lembram que “a Câmara Municipal da Sertã tem a responsabilidade de ter habitação social digna e que cumpra as necessidades da população, a baixo custo para as famílias com menores recursos e que não aprisione as pessoas sem serviços ou transportes para a sede do concelho”.

- Publicidade -

E lembram que “com a crise da covid-19, cada vez mais famílias passaram a carecer de apoio social, por isso ficamos estupefatos por não existir uma estratégia municipal sobre o assunto nem um levantamento das necessidades habitacionais da população, que seguramente existem, tal como em todo o país”.

A Comissão Coordenadora Distrital de Castelo Branco do BE considera que é preciso criar habitações no concelho da Sertã para as disponibilizar rapidamente para arrendamento social.

Garante o BE que “muitos cidadãos vivem em casas arrendadas em condições físicas precárias. Em vários destes casos, arrendatários e proprietários não têm meios para proceder à reabilitação do edificado”.

Por isso, o BE considera que “é importante criar um programa municipal de incentivo e apoio aos senhorios para que as casas sejam reabilitadas e a qualidade de vida dos inquilinos melhorada, caso essas condições existam no concelho. A reabilitação de edifícios municipais para habitação deve ser prioridade, por forma a aumentar a oferta de casas acessíveis a munícipes”.

“O direito à habitação está consagrado na Constituição da República Portuguesa e é essencial a uma vida digna. As políticas públicas devem assegurar o exercício desse direito”, conclui.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome