Sertã: Aprovado Plano Operacional de Defesa da Floresta contra Incêndios

Reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (Foto: CMSertã)

A Sertã aprovou recentemente o seu Plano Operacional Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, documento que identifica os recursos humanos e materiais existentes, a nível operacional, no concelho.

PUB

O Salão Nobre dos Paços do Concelho da Sertã acolheu este mês a reunião de âmbito restrito da Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios e o Briefing semanal do Centro de Coordenação Operacional Distrital.

José Farinha Nunes, presidente da Câmara Municipal da Sertã procedeu à abertura dos trabalhos referindo-se à importância da prevenção de incêndios que constitui “uma preocupação durante todo o ano, mas que nesta altura assume particular relevância dada a proximidade do verão, época em que se regista o aumento do risco de incêndio”.

PUB

Seguiu-se a apreciação e votação do Plano Operacional Municipal que identifica os recursos humanos e materiais existentes no concelho, tendo sido aprovado por unanimidade.

Nesta reunião, foi apresentado o ponto da situação dos trabalhos realizados em Galerias Ripícolas, no âmbito de oito candidaturas, seguindo-se as intervenções dos responsáveis distritais pelo 1.º e 2.º Pilares do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios, respetivamente Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (Pilar da Prevenção Estrutural) e Guarda Nacional Republicana (Pilar da Prevenção Operacional).

PUB

Seguiu-se a intervenção do Comandante Rui Esteves, responsável distrital pelo terceiro Pilar do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios (Pilar do Combate) da Associação Nacional de Proteção Civil (ANPC), que se referiu ao Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios sendo composto pela vigilância dissuasiva, deteção oportuna, ataque inicial musculado, domínio na fase inicial, recuperação de resposta, reforço rápido e organizado, consolidação da extinção, unidade de comando e gestão de informação. Aquele responsável congratulou-se pela instalação de câmaras de vigilância no concelho da Sertã e desejou que o projeto fosse concluído com a aquisição de mais câmaras. Recorde-se que em 2015 foram instaladas câmaras de videovigilância na Serra do Viseu e na Serra do Cabeço Rainho, que permitem uma melhor visualização e tomada de decisão em situação de incêndio.

Plano Operacional de Defesa da Floresta contra Incêndios no concelho da Sertã foi aprovado por unanimidade (Foto: CMSertã)

Rui Esteves abordou ainda a necessidade de se inverter a pirâmide, de modo a que a prevenção e a vigilância se sobreponham ao combate aos incêndios, objetivo que só se conseguirá alcançar com a colaboração e cumprimento das competências de todos.

Por sua vez, a Aproflora – Associação de Produtores Florestais apresentou a atividade realizada durante o ano 2015.

A reunião contou com a presença de José Farinha Nunes, presidente da Câmara Municipal da Sertã, Rogério Fernandes, vice-presidente e vereador da Proteção Civil e Floresta, representantes das juntas e uniões de freguesias, representantes dos dois corpos de Bombeiros do Concelho (Sertã e Cernache do Bonjardim), Aproflora (Associação de Produtores Florestais), Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), Guarda Nacional Republicana (GNR) e Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here