Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Julho 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã: Alunos propõem soluções para o concelho durante reunião de Câmara

A poluição na ribeira da Sertã, a construção de um novo centro de saúde, a revitalização do Clube da Sertã, o desenvolvimento de mais projetos musicais no concelho ou a criação de uma horta biológica e de uma quinta pedagógica foram alguns dos temas abordados pelas dezenas de alunos da Escola Secundária da Sertã que estiveram esta quarta-feira, dia 25 de maio, na última reunião do executivo camarário.

- Publicidade -

Os trabalhos de mais de meia centena de alunos do 10º, 11º e 12º do Agrupamento de Escolas da Sertã surge no âmbito do projeto nacional “Nós propomos”, promovido pelo Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT), da Universidade de Lisboa, em colaboração com a Ersi Portugal e com o apoio institucional da Direção-Geral da Educação, que se realiza pelo 5º ano consecutivo.

A Escola Secundária da Sertã participa pelo segundo ano consecutivo neste projeto nacional, sob a orientação e motivação da professora de Geografia Ilda Bicacro.

- Publicidade -

Dos 12 trabalhos a concurso, nove foram apresentados esta quarta-feira, dia 25, pelos alunos, entre os 15 e os 18 anos, durante a reunião de Câmara da Sertã, que deram a conhecer alguns problemas detetados no território deste concelho, apontando propostas para solucionar os mesmos.

“Quebrar barreiras” é o nome do primeiro projeto que foi apresentado, da autoria de um grupo de alunos do 10º C, que aborda a crise dos refugiados e onde dá a conhecer as medidas que a autarquia da Sertã, uma das 140 que se disponibilizou para acolher refugiados, tem previstas nesta matéria.

A autarquia da Sertã irá acolher, numa primeira fase, três famílias que serão distribuídas pelas localidades do Outeiro da Lagoa, Cabeçudo e Várzea dos Cavaleiros, e que terão apoio na introdução à língua portuguesa e apoio psicológico gratuito por profissionais da Câmara Municipal.

Outro dos trabalhos apresentados, avaliou a criminalidade no Pinhal Interior Sul e os alunos apontam como solução, entre outras, o aumento de militares no interior do país para combater a criminalidade.

O mercado “Quintais nas praças do pinhal” foi o tema de um outro trabalho realizado pelos alunos cujas conclusões apontam para o facto de que esta iniciativa, apesar de contribuir para que os agricultores vendam os seus produtos, os mesmos não têm grande escoamento e sugerem a criação de uma página na internet onde os agricultores possam ter apoio técnico, para além da constituição de uma associação de produtores (apoiada pela GAL) para a divulgação dos produtos.

A música e os músicos foi tema de um outro trabalho, onde as alunas referem que “na Sertã há grandes potenciais na área da música que não estão a ser aproveitados” e propõem que seja edificada uma escola pedagógica direcionada para as artes performativas, bem como a realização de um festival de verão com acampamento para jovens, uma aula mensal gratuita para todas as idades no ginásio municipal, workshops de dança, e a organização de um concurso de talentos para descobrir as potencialidades dos jovens da região.

Durante cerca de hora e meia, os alunos da Escola Secundária da Sertã apresentaram os seus trabalhos onde detetaram problemas no concelho e apresentaram soluções para os mesmos (Foto: mediotejo.net)
Durante cerca de hora e meia, os alunos da Escola Secundária da Sertã apresentaram os seus trabalhos onde detetaram problemas no concelho e apresentaram soluções para os mesmos (Foto: mediotejo.net)

Um outro trabalho apresentado focou-se nas gravuras rupestres da Lajeira e da Fechadura, na freguesia do Figueiredo, onde as alunas propõem o estudo científico dos documentos arqueológicos ali presentes, para além da proteção das gravuras através de um moderno processo de moldagem das lajes, e colocar as gravuras nas rotas culturais nacionais e internacionais, bem como criar um horário específico para a realização das visitas às gravuras porque “quando incide o sol não é possível vê-las”.

A poluição na ribeira da Sertã foi também tema de um trabalho onde as alunas referem que “as descargas das indústrias contribuem para a poluição desta linha de água” e, entre outras soluções, propõem a ampliação da ETAR da Sertã e a fiscalização do cumprimento da lei junto das diversas entidades poluidoras.

A saúde na Sertã foi outro dos temas retratados num dos trabalhos onde os alunos, que fizeram inquéritos sobre a saúde à população, concluem que  “o atual centro de saúde tem falta de condições”. No âmbito deste trabalho, os alunos referem que a maioria da população defende a construção de um novo centro de saúde e apresentam como proposta a construção de um novo centro de saúde junto ao quartel dos bombeiros e da principal via rodoviária de acesso à Sertã, para além da criação de um circuito urbano de autocarro gratuito ligando as principais instituições da vila.

Um outro trabalho, destacou a ausência de um espaço no concelho da Sertã onde se aprenda a agricultura biológica, propondo a criação de uma horta biológica e de uma quinta pedagógica localizada na Serrada, perto da Ponte Velha.

O Clube da Sertã foi outro dos temas alvo de análise no trabalho dos alunos, em que é proposta a revitalização deste espaço, com novas funcionalidades ao serviço da população, entre elas um espaço para as crianças e a criação de uma sala de música, uma sala de escultura e de revitalização do espaço museológico, a acrescentar ainda uma Biblioteca e uma sala de jogos.

Sérgio Claudino, professor da Universidade de Lisboa, responsável pelo projeto “Nós propomos”, também marcou presença na reunião de Câmara da Sertã e tomou a palavra para referir que a Sertã se distingue neste projeto de âmbito nacional “pelo grande empenho, entusiasmo e seriedade com que esteve neste projeto”, referindo ainda que, dos cinco concursos existentes, os alunos da Escola Secundária da Sertã ganharam três concursos a nível nacional (Texto, Fotografia e Desenho), cujos vencedores vão a Bruxelas.

Sérgio Claudino, professor da Universidade de Lisboa, enalteceu o trabalho desenvolvido pela Escola Secundária da Sertã no projeto nacional "Nós propomos" (Foto: mediotejo.net)
Sérgio Claudino, professor da Universidade de Lisboa, enalteceu o trabalho desenvolvido pela Escola Secundária da Sertã no projeto nacional “Nós propomos” (Foto: mediotejo.net)

O professor da Universidade de Lisboa referiu ainda que “está a ser formada uma geração de alunos que têm outro olhar sobre os problemas da sua terra, que não são para ser criticados ao jantar, mas que são para ser resolvidos”.

O executivo camarário parabenizou os alunos pela qualidade dos trabalhos apresentados e mostrou disponibilidade para continuar a apoiar projetos desta natureza.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Publicidade -