Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sertã | A festa da leitura numa maratona de quatro dias

Está a decorrer desde 30 de junho e até 3 de julho, na Sertã, a 9ª edição da Maratona de Leitura, que este ano regista mais de sete dezenas de convidados.

- Publicidade -

Este ano dedicado à proteção do planeta e à Agenda 2030, o festival literário tem como um dos pontos altos a já emblemática sessão de 24 horas a ler em voz alta. Devido às limitações decorrentes da pandemia, teve de ser reduzida na duração, acontecendo entre as 10:00 e as 23:59 de sábado, 3 de julho, primeiro no Cineteatro Tasso e depois no Castelo da Sertã.

A lista de convidados inclui vários nomes sonantes, como Afonso Cruz, Adolfo Luxúria Canibal, António Fagundes, José Eduardo Agualusa, Javier Cercas, Miguel Real, Pedro Lamares, Fernando Alvim, Jorge Serafim, José Milhazes, Mempo Giardinelli, Jerónimo Pizarro, Bagão Félix, Jorge Moreira da Silva ou o projeto RUGE, do jornalista Rodrigo Guedes de Carvalho.

- Publicidade -

O programa apresenta as Festas na Aldeia (entre os dias 1 e 3 de julho), os tradicionais encontros com escritores em diversos locais do concelho, como na aldeia de Dona Maria, no Picoto Rainho ou numa ínsua em pleno rio Zêzere. Está igualmente agendada a realização de workshops ou oficinas criativas, o habitual passeio literário na manhã do dia 3 de julho, espetáculos, exposições e a apresentação de livros, com destaque para o «Guia Experimental da Leitura em Voz Alta» e «Silêncio – Os Pássaros Leem em Voz Alta».

Uma das novidades este ano são as sessões de autógrafos com os escritores convidados, que acontecem na Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes, local onde decorre a habitual Feira do Livro, algumas exposições temáticas e outras sessões da Maratona de Leitura. Referência ainda para a entrega dos prémios do Concurso Nacional de Leitura em Voz Alta (2 de julho) e para uma manifestação de rua a favor da leitura em voz alta e da proteção do planeta.

Pela primeira vez, o programa contemplou também atividades direcionadas para as escolas do município, que decorreram na manhã e tarde do dia 30 de junho. Nos dias seguintes, decorrem várias atividades destinadas igualmente às crianças.

A Maratona de Leitura recebe, uma vez mais, alguns contadores de histórias, que além da presença nas Festas na Aldeia, tomam parte em diferentes sessões ao longo dos quatro dias deste festival literário.

O programa de rádio da Antena 3 «Prova Oral», conduzido por Fernando Alvim, volta a ser emitido em direto da Maratona de Leitura (2 de julho; 19h), tendo como pano de fundo a abertura da exposição «Bibliotecas Itinerantes – Lugares de Futuro», que está patente ao público nos jardins da Fonte da Boneca.

Para o presidente da Câmara Municipal da Sertã, “a Maratona de Leitura é um dos principais eventos organizados pelo município e que tem vindo a conquistar paulatinamente uma posição de enorme destaque no panorama cultural português”.

José Farinha Nunes destaca “a qualidade do programa deste ano, elaborado de uma forma muito cuidada para responder aos anseios do muito público que nos visita, mas que também procura ir ao encontro das restrições e das medidas de etiqueta sanitária estipuladas pelas autoridades. A segurança está sempre em primeiro lugar”.

O autarca reconhece “o enorme esforço que tem vindo a ser desenvolvido ao longo dos últimos anos para transformar a Maratona de Leitura numa importante marca do município. Penso que esse objetivo foi amplamente alcançado e agora o desafio é manter o nível de qualidade em patamares elevados”.

O programa da Maratona de Leitura pode ser consultado na página de internet www.maratonadeleitura.pt ou através do guia distribuído gratuitamente. Para mais informações a autarquia sugere o contacto direto com a Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes, que uma vez mais coordena este festival literário.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome