Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Trânsito interrompido até 30 de abril na EN 358 em Cabeça das Mós

Em consequência dos trabalhos da empreitada “Beneficiação do SAR de Cabeça das Mós – concelho de Sardoal” o trânsito será condicionado na EN 358, de 5 a 30 de abril. Devido à interdição da circulação rodoviária naquela estrada nacional, o circuito alternativo será pelo interior da povoação (ver imagem em baixo).

- Publicidade -

Segundo a Câmara Municipal tal condicionamento de trânsito decorre no âmbito da implementação do Plano de Sinalização de Carácter Temporário de Obras e Obstáculos na Via Pública. A obra de beneficiação do Sistema de Drenagem de Águas Residuais (SAR) de Cabeça das Mós, Sardoal, no valor de mais de 800 mil euros e prazo de execução de um ano arrancou em janeiro.

O procedimento foi aberto pela Tejo Ambiente – Empresa Intermunicipal de Ambiente do Médio Tejo, com um valor base de 821.678,61 euros. Trata-se de uma intervenção com financiamento em 85% do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, com uma componente nacional na ordem dos 123 mil euros.

- Publicidade -

A empreitada de beneficiação do Sistema de Drenagem de Águas Residuais contempla a “construção de um coletor de esgotos e de uma conduta elevatória a ser colocada na zona norte” da aldeia, bem como “arruamentos” da competência da Câmara deu conta o presidente Miguel Borges aquando do início da obra.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome