Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Novembro 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Tensão entre autarca e vereador do PS na estreia do novo executivo

A primeira reunião de executivo da Câmara Municipal de Sardoal decorreu esta quinta-feira à tarde, após a Tomada de posse que havia decorrido na noite anterior, e foi marcada por alguns atritos entre PSD e PS. Após intervenções dos vereadores de executivo e dadas as boas-vindas, eis que Pedro Duque fez declaração política que incidiu sobre o discurso de Miguel Borges, presidente de CM reeleito, que havia tecido críticas à oposição socialista durante a campanha eleitoral, algo que o socialista considerou inoportuno e despropositado. “Este inusitado ato, teve o condão de ofuscar o brilho que esta cerimónia e os recentemente empossados mereciam em detrimento de mais um “concerto” do Maestro Miguel Borges”, referiu Pedro Duque.

- Publicidade -

Pedro Duque referiu que é “de lamentar a postura do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Sardoal, na cerimónia de tomada de posse da Assembleia Municipal e do Executivo da Câmara Municipal, que se realizou na noite de ontem, onde não conseguiu, mais uma vez resistir aos seus ímpetos populistas, não se coibindo de proferir um conjunto de insinuações tão descabidas quanto inoportuna era a ocasião para o efeito, relativamente à postura do PS de Sardoal na última campanha eleitoral”.

Mais acrescentou que tal ato “inusitado” “teve o condão de ofuscar o brilho que esta cerimónia e os recentemente empossados mereciam em detrimento de mais um “concerto” do Maestro Miguel Borges”, disse, afirmando acreditar que os sardoalenses presentes na sessão de tomada de posse, bem como os candidatos/eleitos presentes na plateia “mereciam mais”. “O senhor sabe fazer melhor…”, insistiu.

- Publicidade -

Pedro Duque, vereador do PS, fez declaração política sobre o discurso de tomada de posse de Miguel Borges (PS), achando um ato “inusitado” e despropositado para aquela cerimónia. Foto: mediotejo.net

No que toca às palavras de Miguel Borges e às ofensas e ataques pessoais que disse, durante o discurso proferido na tomada de posse, o vereador socialista Pedro Duque solicitou ao autarca que as concretizasse. “Essas acusações e insinuações suscitadas, solicito ao Sr. Presidente da Câmara Municipal, que concretize, identificando aquilo que refere terem sido ataques pessoais de que foi vítima por parte do PS de Sardoal, no decurso da recente campanha eleitoral autárquica Faça-o Sr. Presidente a bem da verdade, da transparência e elevação de que o órgão a que preside é seu e nosso credor”, terminou.

De imediato os ânimos acabaram por exaltar-se, na medida em que se gerou um debate aceso entre ambos os membros do executivo, parecendo não haver espaço para consenso.

“Quem não sente, não é filho de boa gente. Foi difícil habitar e digerir algumas coisas que foram ditas. E só estou a tomar como certas aquelas que materialmente possam ser comprovadas… O que estes olhos não vêem, o que estes ouvidos não ouvem, pouco vale”, disse Miguel Borges, notando ainda não aceitar que “sem razão as pessoas digam o que disseram de forma leviana”.

Pedro Duque (PS) insurgiu-se novamente, tendo dito que na sua opinião Miguel Borges (PSD) tem ambições pessoais que vão para além dos limites do concelho de Sardoal, algo que despoletou novo momento de tensão no salão nobre dos Paços do Concelho.

Miguel Borges (PSD) confrontou o vereador do PS, questionando a pertinência da interpretação abusiva do vereador socialista perante as suas ambições pessoais. “Quem é o senhor para fazer essa interpretação abusiva?”, perguntou.

O clima foi de tensão na primeira reunião de executivo camarário recém-eleito, com atritos entre Miguel Borges (PSD) e Pedro Duque (PS), onde questões sobre a campanha eleitoral acabaram por vir a discussão. Foto: mediotejo.net

“Isso está errado, foi aí que o senhor me ofendeu (…) o senhor falhou ao dizer que utilizo o meu cargo de presidente de Câmara para as minhas ambições pessoais”, disse, claramente perturbado, nomeadamente após insistência do vereador socialista, que fez ainda referência à presença excessiva/regular do autarca da CM Sardoal no comunicação social, especialmente nos meios locais/regionais.

Miguel Borges decidiu colocar “um ponto final” neste assunto, pedindo que se coloquem mãos ao trabalho.

“Somos 5 aqui (…) é bom que quando alguma coisa seja detetada e não seja correta, havendo obrigações para que sejam colocadas nos sítios próprios, é isso que espero deste executivo municipal”, concluiu, seguindo para a ordem do dia.

Na sessão ficara nomeado Jorge Gaspar (PSD) como vice-presidente. Patrícia Rei continuará como chefe de Gabinete da Presidência.

Já Nuno Morgado, comandante dos Bombeiros Municipais, foi nomeado adjunto do Gabinete da Presidência pelo autarca Miguel Borges.

No Conselho Geral do Agrupamento de Escolas de Sardoal serão representantes Miguel Borges, Pedro Rosa, Jorge Gaspar (ambos PSD), ainda que o vereador Pedro Duque tenha proposto a integração do camarada de partido, Carlos Duarte (PS).

Quanto ao ponto 2, sobre periodicidade das reuniões de executivo, 1ª e 4ª quarta-feira do mês ficaram estabelecidas como dias de realização das mesmas, salvo exceções.

Já no ponto 3, sobre fixação de Vereador a Tempo Inteiro, Pedro Rosa (PSD) foi nomeado para o cargo, tendo sido aprovado por unanimidade.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome