Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | PSD e GIS aprovam exercício de contas de 2016, PS vota contra

O executivo da Câmara Municipal de Sardoal aprovou na última reunião de Câmara as contas 2016, com os votos favoráveis da maioria PSD e do vereador do GIS, e o voto contra do PS. O vereador dos Independentes, Rui Serras votou favoravelmente mas alertou, no entanto, para valores que preocupam, tendo obtido a concordância do presidente da autarquia, Miguel Borges (PSD) quanto à questão do prazo médio de pagamentos estar a 115 dias. O socialista Fernando Vasco votou em consciência e contra um plano político de gestão que o PS de Sardoal afirma não se rever.

- Publicidade -

Do município do Sardoal, em 2016, destacam-se um resultado líquido de exercício de 142 mil euros positivos, um aumento da dívida total de 9.300 euros, compromissos financeiros de médio/longo prazo de 608.585,70 euros (juros + amortização + outros encargos) e um prazo médio de pagamentos de 115 dias.

O vereador socialista abordou na sua intervenção as promessas não concretizadas e projetos que não foram feitos, referindo investimentos adiados em questões ambientais como ETAR’s, Barragem da Lapa e também em empresas, referindo que em 2016 “apenas 2 empresas se instalaram em Sardoal”.

- Publicidade -

Por sua vez, Rui Serras, vereador do Grupo Independentes por Sardoal (GIS), votou a favor da prestação de contas, mas lembrou a importância da conclusão da zona industrial, a premência de intervencionar alguns prédios na Tapada da Torre, e a necessidade de investimentos ligados à floresta. Rui Serras, manifestou ainda preocupação com a “diminuição de fundos próprios, diminuição de receitas, com o aumento do passivo” e com o prazo médio de pagamento em 115 dias. “Há que ter respeito pelos números porque 2 mais 2 são 4”, refere.

“Gostaria que os números fossem melhores”, concluiu Rui Serras.

Na prestação de contas, o presidente Miguel Borges destacou a redução da dívida em 30 mil euros, e referiu que a autarquia tem 158 trabalhadores ao seu serviço, tendo destacado trabalhos concluídos e projetos de investimento em curso, como o funcionamento dos diversos serviços do Município, nomeadamente, administrativos, financeiros, fiscalização e de obras, consubstanciando-se os mesmos na aquisição de equipamento administrativo, software e equipamento informático; Trabalhos de adaptação dos diversos gabinetes para organização espacial dos serviços, nomeadamente Balcão Único de Atendimento; No âmbito da operação Médio Tejo Online (33137) aprovada no âmbito do Programa Operacional Fatores de Competitividade, Regulamento Específico Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (SAMA), deu-se continuidade aos procedimentos necessários, nomeadamente formação a trabalhadores, com intuito de disponibilizar a plataforma de educação e os serviços online aos cidadãos; Conclui-se a Instalação da Loja do Cidadão, Arquivo Municipal e Espaço Empreende com os respetivos equipamentos, os quais foram inaugurados a 18 fevereiro de 2016; Deu-se início à construção do monumento em homenagem aos Combatentes; Requalificação da cave do Centro Cultural para arrecadação; Deu-se início à colocação de plataforma elevatória e adaptação de wc para mobilidade reduzida no edifício dos Paços do Concelho; vimos aprovado o PARU (Plano de ação para a regeneração urbana) no qual se encontram vários projetos de intervenção no núcleo histórico da vila, tendo ainda referido trabalho feito ao nível da educação, proteção civil, serviços Individuais de saúde e ação social.

Miguel Borges elencou ainda um conjunto de projetos aos níveis do turismo, habitação entre outros, e destacou a programação e aposta do município no que diz respeito à atividade cultural, referindo a integração de Sardoal na Rede Eunice, o Festival de Jazz, Festival de Piano, a Semana Santa, entre outros, tendo afirmado que são investimentos que terão retorno financeiro a médio, longo prazo.

A execução anual das Grandes Opções do Plano, considerando o realizado no ano, totalizou o valor de 1.580.760.96 euros, sendo que no Plano Plurianual de Investimentos o valor ascendeu a 371.763.83 euros, e nas Atividades Mais Relevantes o valor de 1.208.997,13 euros, registando uma diminuição 314.853,45 euros face a 2015.

 

 

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here