Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Setembro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | PS alerta autarquia para perigosidade de bermas em Mogão Cimeiro (c/áudio)

Após uma deslocação à freguesia de Santiago de Montalegre, os vereadores do PS alertaram a autarquia de Sardoal para o perigo das bermas em Mogão Cimeiro, cuja profundidade e sensação de estreitamento da via geram insegurança por parte de quem ali passa. O executivo social-democrata admite que a sensação de falta de segurança é “evidente” e que é necessário corrigir a situação.

- Publicidade -

“As bermas do poço da morte” foi uma das expressões que o vereador Carlos Duarte (PS) diz ter ouvido por parte da população na deslocação que fez com o vereador Pedro Duque (PS) à zona de Mogão Cimeiro, na freguesia de Santiago de Montalegre, mais concretamente referindo-se à situação entre a Rua da Fonte, a Travessa do Linhel e a Rua do Linhel.

Em reunião de Câmara a 21 de julho, o vereador socialista refere que nas bermas dos arruamentos de Mogão Cimeiro “o perigo se encontra ali patente”, tendo em conta a profundidade das mesmas, questão à qual acresce a sensação de estreitamento da via em causa.

- Publicidade -

Questionando o presidente da autarquia sobre se estaria prevista alguma intervenção, Carlos Duarte relembrou que foram levadas a cabo obras em 2020 nesta zona que custaram cerca de 700 mil euros, admitindo que “parece ter havido alguma falta de cuidado para deixar essas bermas mais seguras e isso pode colocar em causa a competência de quem projetou e construiu”.

PS alerta autarquia sardoalense para o perigo das bermas em Mogão Cimeiro, em Santiago de Montalegre. Imagem: Carlos Duarte

“A nós, o que nos pareceu foi que não teria sido difícil encher essas bermas, uma vez que nos parece que teria escoante suficiente”, acrescentou, apontando soluções para o problema em causa, como a “colocação de uns postes de amarração para controle de trânsito, especialmente porque é uma zona com pouca iluminação pública noturna”.

Em resposta, o presidente da autarquia sardoalense, Miguel Borges (PSD), deu conta de que já percorreu o sítio referido e que vão ser feitas “alterações nalgumas situações de maior perigosidade”.

Pedro Rosa (PSD), vereador com o pelouro do Trânsito, acrescentou que a intervenção que foi feita na valeta “causa uma sensação de falta de segurança, isso é evidente”, mas sublinha que não houve estreitamento da via.

ÁUDIO | Vereador Pedro Rosa (PSD) explica que está prevista intervenção

“O vice-presidente [Jorge Gaspar] já tem em mãos um orçamento para a intervenção que lá vamos fazer. Uma hipótese seria tapar a valeta e subir a quota, a outra seria a colocação de rails – que iria causar uma sensação muito maior de estreitamento de via. Em princípio, será uma intervenção muito semelhante àquela que foi feita na aldeia do Codes e que é uma solução um pouco híbrida entre o rail e os postes de madeira tratada”, disse, esperando que essa intervenção seja feita a breve trecho.

Limpeza de bermas a precisar de “segunda volta”

Também em reunião do executivo camarário, o PS exaltou a necessidade da limpeza das bermas, referindo-se concretamente às situações da antiga estrada nacional, entre Venda Nova e a zona limite de Monte Cimeiro, e na ligação entre Cabeça das Mós e Entrevinhas.
“A visibilidade nalguns sítios torna-se um bocado reduzida”, expôs Pedro Duque (PS), admitindo a dificuldade de se acompanhar o ritmo de crescimento da vegetação.

O presidente da autarquia sardoalense, Miguel Borges (PSD), referiu que o trabalho de limpeza está a ser feito em conjunto com as juntas de freguesias e também através da contratação de serviços externos, admitindo que é “muito difícil” manter a situação em condições.

“O que acontece é que este trabalho já está a precisar da segunda volta. O esforço é enorme, não só da Câmara Municipal que está a contratar serviços externos para aquilo que são as nossas competências, mas também por parte das juntas de freguesia para manterem esta situação em condições. Mas vamos continuar”, admitiu.

Por sua vez, o vereador Pedro Rosa (PSD) elucidou que existem estradas no concelho que estão sob a jurisdição da Infraestruturas de Portugal, nomeadamente e estrada 358, que liga a Nacional 2 a Martinchel. “Nós já informámos a Infraestruturas de Portugal e aquilo que foi garantido foi que após a intervenção que está a ser feita na Nacional 2 irão passar para a 358 a breve trecho”, referiu.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome