- Publicidade -

Sábado, Dezembro 4, 2021
- Publicidade -

Sardoal promove 3.ª edição do Concurso de Pintura “À Descoberta do Mestre”

A 3.ª edição do concurso de pintura “À Descoberta do Mestre” vai decorrer este ano 2019 em Sardoal subordinado ao tema “Novos Caminhos”. As candidaturas estão abertas até ao dia 31 de maio. A manifestação de intenção de participação no concurso deverá ser feita através do envio de uma ficha.

- Publicidade -

O concurso de pintura promovido pela Câmara Municipal de Sardoal, pretende promover e divulgar a pintura enquanto recurso de expressão artística, estabelecendo uma estreita relação com a herança histórica e cultural legada pelos pintores manuelinos, Manuel Vicente e Vicente Gil, tradicionalmente reconhecidos como “Mestre de Sardoal”, cujas Tábuas se encontram na Igreja Matriz de Sardoal e que se assumem como motivo de elevado interesse por marcarem a transição do estilo gótico para o renascentista em Portugal.

O Município tem assumido a divulgação do seu património cultural e artístico como importante pilar estratégico no desenvolvimento turístico do Concelho e subsequente crescimento socioecónomico.

- Publicidade -

O júri do concurso é composto por Laura Afonso, personalidade com estreita ligação ao panorama artístico nacional; Carlos Vicente, coordenador do Centro de Estudos de Arte Contemporânea de Vila Nova da Barquinha; e Rita Vieira, Doutorada em Belas-Artes – Desenho.

Todas as informações relativas ao concurso, assim como o formulário da ficha de candidatura e regulamento estão disponíveis em www.cm-sardoal.pt, podendo também ser solicitados no Serviço de Cultura e Turismo da Câmara Municipal de Sardoal.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome