Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 31, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | “Presépios do Mundo” em exposição no Centro Cultural

No âmbito da quadra Natalícia e com o intuito de enaltecer a fé e a religiosidade que caracterizam o concelho de Sardoal, o Centro Cultural Gil Vicente terá patente, de 6 de dezembro a 11 de janeiro de 2020, a exposição “Presépios do Mundo – O Imaginário Sul-Americano”.

- Publicidade -

A mostra integra presépios da coleção Rui Sequeira, pertencentes à Diocese de Portalegre-Castelo Branco, que dão a conhecer diferentes representações populares e etnográficas da natividade em diversos países do continente sul-americano.

A inauguração da exposição decorre no dia 6 de dezembro, sendo antecedida por uma visita às capelas da vila ornamentadas com presépios. O ponto de encontro está marcado para a entrada da Câmara Municipal, pelas 17:00.

- Publicidade -

De referir que, de 6 de dezembro a 5 de janeiro de 2020, as capelas e igrejas do concelho de Sardoal vão estar adornadas com presépios elaborados pelos sardoalenses. Os templos estão abertos ao público entre as 14h00 e as 17h00, sendo que na vila podem ser visitados todos os dias e nas várias localidades do concelho apenas aos fins de semana.

No dia 21 de dezembro, o Município disponibilizará transporte para visitar as capelas e igrejas fora da vila, com partida do Centro Cultural Gil Vicente, pelas 14:30.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome