Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal: Prédios da Tapada da Torre vão ter obras em 2016

Os moradores dos prédios da Tapada da Torre, no Sardoal, reclamam junto da autarquia a execução urgente de obras de recuperação dos edifícios. Miguel Borges, presidente da Câmara Municipal de Sardoal, reconhece o problema e salienta que as obras fazem parte do plano de atividades do município para o próximo ano.

- Publicidade -

No dia 13 de outubro passado, os moradores dos prédios da Tapada da Torre entregaram na Câmara Municipal de Sardoal um abaixo-assinado, com cerca de 40 assinaturas, onde reclamam que “os prédios estão a necessitar urgentemente de algumas reparações” e enumeram um conjunto de dez situações, de onde se salienta “o arranjo do telhado uma vez que chove dentro dos apartamentos e têm muitas infiltrações”.

Os prédios em questão são de habitação social, da responsabilidade da Câmara Municipal do Sardoal, que começaram a ser habitados em 1992, sendo que os moradores pagam uma renda mensal à autarquia.

- Publicidade -

Miguel Borges, presidente da Câmara de Sardoal, explicou ao mediotejo.net que “este bloco de quatro prédios tem cerca de 23 anos, nunca teve uma intervenção de fundo e precisa de obras, como todos os prédios com esta idade”.

O autarca salienta que “está dentro das prioridades da Câmara Municipal e inscrito no plano de atividades e orçamento para 2016 a execução dessas obras que representam um investimento de cerca de 300 mil euros”.

Sobre o facto de só agora as obras avançarem, Miguel Borges explica que “surgiu agora, porque antes nunca tinha havido, a oportunidade de uma candidatura a fundos comunitários do Portugal 2020 através do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos”. E salienta que “do orçamento camarário nunca seria possível fazer essas obras porque depois também teríamos de aumentar as rendas e isso não seria viável”.

Miguel Borges refere ainda que reconhece o problema dos moradores e que “têm vindo a ser feitos trabalhos de recuperação nos prédios, os nossos trabalhadores vão lá com frequência para fazer reparações”.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here