Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Domingo, Outubro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Plano e orçamento de 12 ME aprovados por maioria com críticas da oposição

À semelhança do que aconteceu na reunião da Câmara Municipal do Sardoal no dia 2 de dezembro, a Assembleia Municipal aprovou na sessão de 29 de dezembro as Grandes Opções do Plano 2021-2025 e de Orçamento 2021, com o mesmo sentido de voto, 10 a favor (PSD) e 6 contra (PS).

- Publicidade -

Na ausência do Presidente da Câmara, Miguel Borges (PSD), a recuperar da covid-19, foi o vice-presidente Jorge Gaspar (PSD) a defender a gestão camarária numa reunião que se realizou por videoconferência através da plataforma Zoom.

O orçamento municipal, na ordem dos 12 milhões e 50 mil euros, mereceu praticamente as mesmas críticas por parte da oposição que já tinham sido feitas em sede de executivo.

- Publicidade -

O principal argumento, na voz do deputado municipal Adérito Garcia (PS), é que a sua bancada propôs alguns projetos para o plano e orçamento que não foram atendidos.

A oposição criticou globalmente as opções as receitas e despesas previstas, considerando que o documento não serve os interesses do concelho, com o PS a não se rever nas opções da maioria.

O vice-presidente da Câmara considerou “injusto” que o PS não referisse as propostas que foram inseridas no orçamento. PDM, política florestal e importâncias das ZIF – Zonas de Intervenção Florestal, praias fluviais, alargamento do parque empresarial do Sardoal, apoios escolares e ação da autarquia para mitigar os efeitos da pandemia por exemplo no comércio local foram alguns dos tópicos da intervenção de Jorge Gaspar (PSD).

Para a oposição, o orçamento de 2021 inclui obras que já deveriam estar feitas e são projetadas a pensar nas eleições autárquicas do outono de 2021, acusação de eleitoralismo que o vice-presidente da câmara refutou.

Na mesma sessão da Assembleia, que durou mais de quatro horas, foi aprovada a política fiscal para 2021, repetindo-se o sentido de voto verificado na Câmara, ou seja, aprovação unânime.

A proposta era a de manutenção das taxas, no que respeita ao IMI (taxas a aplicar para o ano de 2020, a liquidar em 2021), Taxa Municipal dos Direitos de Passagem para 2021, IRS (Participação Variável – 2021) e Derrama (a liquidar em 2021, referente a 2020).

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome