Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Novembro 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Piscinas descobertas podem abrir em agosto depois de obras de 300 mil euros (C/AUDIO)

As obras de requalificação das Piscinas Municipais Descobertas de Sardoal, um investimento na ordem dos 300 mil euros, deverão estar concluídas no final deste mês de julho e poderão abrir ao público durante o mês de agosto, dependendo da evolução da pandemia. Aquele equipamento de lazer “só abrirá se tudo correr bem. Mais importante do que a obra propriamente dita é a situação epidemiológica” derivada da covid-19, disse ao mediotejo.net o presidente a Câmara Municipal de Sardoal, Miguel Borges.

- Publicidade -

Depois de o Município de Sardoal ter apresentado uma candidatura ao programa de Beneficiação de Equipamentos Municipais (BEM) para a reabilitação das Piscinas Municipais Descobertas, a empreitada iniciou com um prazo de seis meses para execução (físico e financeiro), não sendo passível de renovação, a intervenção deveria estar concluída a 1 de abril de 2020, mas tal não aconteceu, com derrapagem dos prazos de conclusão devido a atraso na entrega de alguns equipamentos e em novos problemas para resolver em obra.

- Publicidade -

“Várias foram as razões para esta ‘derrapagem’ temporal. A codiv-19 e o fornecimentos de alguns equipamentos têm essa responsabilidade mas não só. Numa piscina como a de Sardoal com bastantes anos em que nada foi feito, muitas vezes quando se começa em obra vai-se encontrando outras necessidades de intervenção”, justificou o presidente Miguel Borges, tendo feito notar uma obrigação de “alteração do projeto e dos trabalhos” e que o prazo de conclusão da empreitada também foi “dilatado no tempo”.

O investimento é de 314.029,13 euros, com 60% de financiamento, “cerca de 200 mil euros e o restante é um esforço financeiro do Município”, explica.

O programa BEM lançado pelo Governo em junho de 2018 destina-se à valorização de infraestruturas e equipamentos dos municípios do interior e conta com uma dotação de 3,5 milhões de euros, no âmbito da Cooperação Técnica e Financeira entre a administração central e as autarquias.

Miguel Borges assegura que esta obra nas piscinas descobertas “faz falta” porque aquele equipamento “muito antigo e desadequado” apresentava “enormes perdas de água”. O autarca justifica a decisão por se tratar “de um equipamento com muitos anos”, e com “poucas” melhorias desde a sua construção inicial.

Ora, o programa BEM permite a introdução de medidas “de eficiência energética, para limitar as perdas de água e para melhoria nas mobilidades”, indica Miguel Borges, dando conta que “também os balneários e sanitários” são alvo de requalificação no sentido de “dar uma melhor resposta a quem utiliza durante o verão”.

O presidente sublinha que o programa encaixa-se principalmente em “equipamentos de âmbito desportivo” e caso não tivesse avançado a candidatura, a piscina “degradava-se cada vez mais e arriscávamos uma obra nos próximos tempos sem apoio algum”.

O BEM que visa a celebração de contratos-programa entre a administração central e as autarquias locais, é então especificamente dedicado aos municípios do interior para beneficiação de equipamentos e imóveis de interesse municipal, num apoio que não pode ultrapassar os 300 mil euros.

De acordo com o Governo, este programa “enquadra-se na estratégia definida” no Programa Nacional para a Coesão Territorial (PNCT).

Piscinas Descobertas Sardoal

Mas se o cumprimento do prazo da empreitada “não preocupa” Miguel Borges. O autarca manifesta-se preocupado, isso sim, com a abertura da piscina tendo em conta a saúde pública, nomeadamente na região de Lisboa e Vale do Tejo. “Acreditamos e temos esperança que a situação de covid-19 possa permitir que abra em agosto” mas “primeiro está a saúde e a segurança das pessoas”. Ou seja, se a situação epidemiológica resistir ao bom caminho, “arranjaremos outras formas de lazer como temos feito até aqui”, garante.

O autarca nota “um aumento grande de casos. Sabemos que as pessoas da área de Lisboa gostam muito de vir até ao interior e este ano até virão mais. Não sabemos quem é que vem e em estado e como vem. E nós gostamos muito de receber as pessoas, de as ter entre nós e ter as melhores condições para as receber, mas há alturas para tudo”, afirma.

Complexo de Piscinas Descobertas de Sardoal está em obras de reabilitação e poderá reabrir em agosto. Foto arquivo: mediotejo.net

No âmbito do turismo o autarca fez ainda um ponto de situação relativamente à requalificação dos percursos pedestres do concelho, explicando que também neste caso a pandemia obrigou a outras escolhas consideradas prioritárias.

E esta intervenção, agora iniciada com o retomar de alguma “normalidade” dos serviços municipais, “passa muito pela limpeza dos percursos, pela colocação de novas placas de identificação, algumas foram-se deteriorando com o tempo. E esse trabalho está a ser feito com calma” disse.

Miguel Borges admitiu que os percursos pedestres podem ser calcorreados mas, salvaguardou a importância das pessoas perceberem “que se algo não correr totalmente bem, foram avisadas” da referida intervenção.

c/Paula Mourato

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome