Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Agosto 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Pano do Centro Cultural Gil Vicente sobe hoje para Ifigénia e Rede Eunice

O pano do Centro Cultural Gil Vicente sobe esta noite para “Ifigénia”, o espetáculo do Teatro Nacional D. Maria II que marca a estreia da Rede Eunice no concelho de Sardoal. A personagem mitológica que dá nome à última obra do poeta trágico grego Eurípedes inspirou o encenador Tiago Rodrigues e entra em cena este sábado, dia 26 de novembro, no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal.

- Publicidade -

O anúncio no passado mês de agosto de que o Centro Cultural Gil Vicente integrava a lista da Rede Eunice deixou o público do Médio Tejo a aguardar a estreia da primeira temporada. Assistir a um espetáculo do Teatro Nacional D. Maria II deixara de ser sinónimo de viagem a Lisboa e, além deste equipamento cultural, apenas o Teatro Municipal de Vila Real e o Teatro Municipal Baltazar Dias (Funchal, Madeira) foram selecionados para receber o novo projeto de difusão e descentralização.

Em declarações ao mediotejo.net, Miguel Borges, presidente da autarquia, disse que “Sardoal está na rota, não só dos acontecimentos locais promovidos pelas associações concelhias e da região, mas também passamos a estar na rota dos grandes acontecimentos nacionais em termos culturais”, remetendo para eventos de qualidade nacional e internacional, como este ao nível do melhor teatro que se produz no nosso país.

- Publicidade -

“Há um microclima cultural no Sardoal com 500 anos de história comprovada, desde a referência que Gil Vicente faz ao Sardoal, os próprios quadros do Mestre de Sardoal, desde todo este património arquitetónico com toda a beleza artística que temos, e nós só estamos a potenciar e a transformar o conjunto de recursos que temos num produto  que seja cultural mas ao mesmo tempo turístico e que seja criador de  riqueza, de postos de trabalho e dinamizador da economia local”,  destacou o autarca.

Três meses depois, a subida do pano tem data marcada e acontece este sábado, dia 26 de novembro, pelas 21h30, com a peça “Ifigénia”, escrita e encenada por Tiago Rodrigues, atual diretor artístico do Teatro Nacional D. Maria II. A personagem mitológica imortalizada na última obra de Eurípedes, poeta trágico no século V. a.c., passa a personagem no palco que tem como cenário o porto de Áulis, onde os ventos cessaram depois de Agamémnon, rei de Argos e pai de Ifigénia, ter irritado Ártemis, a deusa da caça.

É desse porto que os exércitos gregos seguirão rumo a Tróia para salvar Helena e Ártemis exige o sacrifício de Ifigénia para que a partida seja bafejada por ventos favoráveis. O rei acede ao pedido e escreve à esposa, Clitemnestra, para levar a filha até ao local e, supostamente, se casar com Aquiles. A tragédia grega desenrola-se até ao momento em que a princesa decide sacrificar-se pelo falso esposo e pelo povo.

As versões variam quanto à sua morte – terá sido salva no último minuto por Ártemis ou não? – e o público conhecerá a resposta escolhida por Tiago Rodrigues no palco do Centro Cultural Gil Vicente no final deste mês. A coprodução do Teatro Viriato tem música original de Gabriel Ferrandini e é interpretada por Ana Tang, Ana Valente, Flávia Gusmão, Isabel Abreu, João Grosso, José Neves, Lúcia Maria, Marco Mendonça, Maria Amélia Matta, Miguel Borges e Sandra Pereira.

“Ifigénia” é a primeira peça da temporada 2016/17, estando previsto que o pano volte a subir em janeiro para “A Origem das Espécies” e em maio para “As Criadas”, espetáculos igualmente encenados por Tiago Rodrigues. No entanto, o projeto não termina nessa altura e o público do Médio Tejo pode continuar a assistir no Sardoal aos espetáculos de uma das principais salas de espetáculos do país por mais duas temporadas (2017/18 e 2018/19).

A atriz Eunice Muñoz, de 88 anos, que empresta o nome à Rede de descentralização do teatro nacional D. Maria II, é homenageada na segunda-feira, precisamente no Teatro Nacional D. Maria II (TNDM), em Lisboa, onde se estreou há 75 anos, participando numa conversa, na sala Garrett, com o ator e encenador Diogo Infante, com quem contracenou várias vezes.

“Eunice Muñoz – Uma lição de 75 anos de carreira” é o título desta iniciativa marcada para as 18:00 de segunda-feira, e à qual assiste, entre outras personalidades, como colegas e amigos, o secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, ex-presidente do conselho de administração do TNDM, anunciou aquele teatro.

A Rede Eunice é hoje aclamada em Sardoal.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome