Sardoal | “Paixão” de Cristo de Emília Nadal no Centro Cultural Gil Vicente

“Paixão” de Emília Nadal no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Créditos: mediotejo.net

Uma exposição com pintura e desenho da artista Emília Nadal, intitulada “Paixão”, onde aborda cenas bíblicas da Paixão de Cristo e reflete também sobre a vida e a morte num período de contemplação, está patente ao público no Centro Cultural Gil Vicente, no âmbito da Semana Santa de Sardoal.

Na exposição “Paixão”, patente ao público até ao dia 9 de junho no Centro Cultural Gil Vicente, a artista explora, por um lado, o tema da Paixão de Cristo através da pintura e por outro, o papel da mãe de Jesus através do desenho, sublinhando na pintura a pastel, no traço a vermelho, o horror da crueldade e nas cores vivas e luminosas, o momento da ressurreição. Um regresso a Sardoal, uma terra que confessa ser também a sua “paixão” pois “durante anos” Emília Nadal visitava regularmente uma amiga na Casa Grande.

Integrada na programação complementar da Semana Santa de Sardoal, a mostra de pintura (pastel seco sobre papel) e desenho (desenho a tinta sobre papel) possui uma índole religiosa, sendo que algumas das obras retratam cenas da vida de Cristo.

“Paixão” de Emília Nadal no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Créditos: mediotejo.net

Estas obras agora expostas no Centro Cultural Gil Vicente, são uma história narrada através da pintura e “das narrativas da Paixão dos Evangelhos, conforme me foi apetecendo ao longo do tempo, conforme o próprio tema naquele momento me deu mais vontade de o interpretar. Há temas que repeti uma e duas vezes e também em desenho porque no fundo andei sempre à procura de uma forma e de uma expressão. Sempre que acabava uma, achava que ainda não estava e apetecia-me fazer outra. Há sempre uma insatisfação, uma procura, e sempre o modo como a pessoa se sente num dia, a sua sensibilidade”, explica a artista.

Confessa-se “aflita” com as interpretações dos relatos da Paixão onde Cristo aparece “engomado e limpinho como se nada daquilo tivesse a ver com a violência do horror da situação, completamente iníqua, onde o homem está ensanguentado, não está penteado”, observa, motivo pelo qual abordou o corpo sem fatos durante a Via Sacra.

“Fiz várias quedas onde Cristo fica debaixo de um peso brutal”, explica Emília Nadal durante o percorrer das várias pinturas, que retratam desde a Agonia do Horto até à Aparição no Jardim a Maria Madalena, após a ressurreição. O Apocalipse também é uma série que a artista tem trabalhado e que pode ser vista no Centro Cultural Gil Vicente, tal como a luta de Jacob e o Anjo.

“Paixão” de Emília Nadal no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Créditos: mediotejo.net

“Acho extraordinário uma pessoa lutar com Deus. Acho que Deus quer que lutemos com ele e depois abençoa-nos mas só nos abençoa na medida em que lutamos”, comenta a artista.

A mostra apresenta ainda desenho em impressão digital sobre poliester representando narrações do Evangelho sobre a crucificação de Jesus Cristo, a entrega de João à Mãe e do centurião na verificação da morte de Cristo.

Nascida em Lisboa em 1938, Emília Nadal frequentou a Escola de Artes Decorativas António Arroio e a Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, onde se licenciou em pintura em 1960, tem repartido o seu trabalho também pelo desenho, gravura e cenografia para teatro e ballet.

Emília Nadal foi bolseira da Fundação Gulbenkian para investigação em artes visuais, sendo autora de diversos ensaios e artigos sobre educação estética e ensino artístico.

“Paixão” de Emília Nadal no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Créditos: mediotejo.net

Entre outras, encontra-se representada nas coleções do Museu de Arte Moderna de Serralves, do Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian e Núcleo de Arte-Contemporânea, Coleção José-Augusto França, Tomar.

A mostra é assim enquadrada no tema pascal, e “pretende ser um caminho de ajuda à reflexão através da arte” refere o presidente da Câmara Municipal, Miguel Borges.

No momento da inauguração da mostra, Miguel Borges disse que em Sardoal existe “paixão pela Páscoa e também pelas coisas boas que se fazem em termos artísticos, não só nas artes plásticas, no caso a pintura, mas também na dança, no teatro, como esta sala [Centro Cultural Gil Vicente] tem sido palco de grande concentração de muita qualidade do que de bom se faz no nosso País”.

Agradeceu a Emília Nadal por permitir que os sardolenses “tenham um contacto mais direto com a sua excelente obra. Um dos grandes nomes das artes plásticas portuguesas”.

Durante a Semana Santa, o Centro Cultural estará aberto ao público com um horário alargado: na Quinta-feira Santa, dia 18, das 15h00 às 21h30, na Sexta-feira Santa, dia 19, das 15h00 às 20h00, no Sábado Santo, dia 20, e no Domingo de Páscoa, dia 21, das 15h00 às 20h00.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here