Sardoal | Obras na Escola suspensas por segurança na remoção de fibrocimento

As obras na nova Escola Básica 1,2,3 e Secundária Dr.ª Maria Judite Serrão Andrade, em Sardoal, foram suspensas por uma semana. Em causa, a remoção das placas de fibrocimento – que contém amianto – existentes naquele estabelecimento de ensino.

A Câmara Municipal, na qualidade de “dono da obra” apresentou “dúvidas quanto aos procedimentos de segurança relativamente à remoção das placas, a diretora da escola também colocou essa dúvida e por uma questão preventiva decidimos suspender os trabalhos”, explicou ao mediotejo.net o presidente da Câmara Municipal de Sardoal, Miguel Borges.

A suspensão ocorreu na terça-feira, 22 de janeiro, no mesmo dia em que a GNR recebeu uma denúncia e nessa sequência levantou um auto de notícia. “Alguém questionou o procedimento, o que é legítimo, mas o ideal seria comunicar à Câmara Municipal, ao gabinete de fiscalização. A ACT [Autoridade para as Condições de Trabalho] foi informada, o Ministério do Ambiente também, e entendeu-se manter a suspensão até que as autoridades se pronunciem sobre o auto levantado pela GNR”, referiu.

PUB

Indicou que no dia seguinte à suspensão “os responsáveis reuniram: a entidade fiscalizadora, o dono da obra (a Câmara), o construtor e a direção da escola. Percebemos que afinal a questão não é tão problemática quanto inicialmente pensávamos. Não estando as placas removidas acima de 100 metros de altura não é necessário um licenciamento para o levantamento das placas. Neste caso, o licenciamentos é necessário para o transporte e colocação das placas no local adequado”, referiu o presidente.

Miguel Borges falou numa “falha de comunicação entre algumas entidades” nomeadamente “o construtor, a entidade fiscalizadora e os trabalhadores”. No entanto, garante um procedimento “correto, sem qualquer risco” para alunos e profissionais, uma vez que “as placas não foram cortadas, apenas o encaixe foi cortado. As placas foram removidas por inteiro sem que ocorresse libertação de partículas”.

Aguardam agora pelo parecer das entidades competentes mas segundo o presidente a situação estará normalizada, ou seja, a obra recomeça “dentro de uma semana ou menos”.

O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, visitou recentemente as obras na Escola de Sardoal. Créditos: Paulo Jorge de Sousa

O investimento total da obra, com equipamentos “ronda os 5 milhões de euros, financiado a 85% por fundos comunitários, há uma componente suportada pelo Ministério da Educação de 7,5% (200 mil euros) e outra de 7,5% suportada pelo Município”, detalhou, acrescentando que o investimento do Município ronda os 400 mil euros.

A nova escola “será moderna, com outro conforto, com outra capacidade de resposta” diferente da atual “mais acolhedora, também importante para o sucesso da aprendizagem” dos alunos bem como do sucesso dos profissionais daquele estabelecimento de ensino, afirmou Miguel Borges. Uma obra para dois anos que recentemente contou com a visita do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

PUB
Paula Mourato
A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).