Sardoal | Nova escola de 3,9 milhões de euros é realidade com apoio comunitário

Foi confirmado hoje, em reunião de executivo camarário, pelo autarca sardoalense Miguel Borges, a aprovação do financiamento comunitário no âmbito do Portugal2020 para a construção da Escola Básica 1, 2, 3 e Secundária de Sardoal. Como já havia sido noticiado pelo mediotejo.net, aquando da aprovação do projeto em sede de executivo e assembleia municipal, a obra vem preencher “uma lacuna no concelho”, e integra o mapeamento do conjunto das escolas que o Governo sinalizou como intervenções prioritárias. A obra está orçada entre 3,7 a 3,9 milhões de euros e o prazo de contrato é de 2 anos. O procedimento concursal está aberto até dia 26 de janeiro, tendo sido alargado o prazo segundo a autarquia.

PUB

Segundo Miguel Borges, presidente da CM Sardoal, “neste momento o processo da escola só depende de nós. Faltava a aprovação do financiamento comunitário, sendo certo nos investimentos territoriais integrados, mas estava dependente da candidatura feita pelo município, que é agora aprovada pela CCDR Centro”.

Foi confirmado hoje, em reunião de executivo camarário, pelo autarca sardoalense Miguel Borges a aprovação do financiamento comunitário no âmbito do Portugal2020 para a construção da Escola Básica 1, 2, 3 e Secundária de Sardoal. Foto: mediotejo.net

PUB

Na ordem do dia, no ponto 12, constou precisamente a aprovação das propostas apresentadas numa lista de erros e omissões relativas ao projeto de execução, aprovadas por maioria com duas abstenções dos vereadores Pedro Duque (PS) e Rui Serras (GIS).

“Houve um conjunto de interessados que, ao analisar os documentos, apresentaram alguns erros e omissões, faz parte dos procedimentos deste âmbito. Foram dadas respostas e há uma pequena oscilação em termos de valor de base de 45 mil euros, que é um valor pouco significativo. Estamos a falar de 3,5 milhões de euros”, explicou o autarca à comunicação social.

PUB

O concurso continua a decorrer, segundo o presidente de câmara, “com um novo prazo para apresentação das propostas – 26 de janeiro – e depois, irá proceder-se à abertura das propostas e restantes procedimentos ditos normais para começarmos a obra o mais depressa possível”, resultando numa “escola completamente nova”.

“É algo que me diz muito”, frisou o autarca Miguel Borges (PSD), “há 6 anos que ando a lutar por uma escola nova, um pouco contra corrente, e por uma razão muito simples: a Europa entendia que já não havia mais dinheiro nenhum para escolas em Portugal, porque na verdade eles não entendiam como neste país se gastou 14/15 milhões de euros numa escola”.

“Nós aqui somos muito mais modestos, e andamos com um projeto de 3.8/3.9 milhões de euros, pode andar à volta disso, o custo total da obra com o equipamento”, disse.

Miguel Borges mencionou ainda ter travado “uma luta contra o tempo”, uma vez que as escolas estavam nas chamadas “prioridades negativas”, tendo a autarquia conseguido fazer compreender que este projeto “é uma necessidade” para o concelho de Sardoal. O projeto foi lançado em fevereiro de 2016, em reunião de executivo camarário, e aprovado por maioria em assembleia municipal de junho, tendo-se verificado alterações quanto aos apoios por parte do Ministério da Educação, que se inserem em 7,5%, a mesma fatia que caberá ao município.

“A escola atual é muito bonita, exteriormente está bem arranjada, mas não tem condições em termos de conforto para as crianças”, fez notar o autarca, dando um exemplo próximo. “O meu filho mais novo anda no primeiro ciclo e em dias de chuva, entre o portão e o primeiro ciclo, com mochila e guarda-chuva, ele começa as aulas às 9h00 completamente encharcado. Ora, não há projeto educativo que possa ser implementado com qualidade quando as crianças não têm o mínimo conforto que é exigido, e que outros têm à nossa volta, e que está de acordo com aquilo que são as aprendizagens do século XXI”.

O projeto do novo parque escolar pretende a construção de 22 salas de aula, sala de Música, laboratórios, salas de TIC, biblioteca, salas de E.V.T., sala polivalente, áreas exteriores cobertas, papelaria, refeitório, equipamentos infantis, recreio coberto, espaços administrativos e polidesportivo ao ar livre.

O projeto de execução prevê requalificação do parque escolar e do pavilhão desportivo, estando orçada o investimento em 3.9 milhões de euros. Foto: CM Sardoal

Pavilhão Desportivo passará a servir a escola e os munícipes

Uma outra resposta que a autarquia pretende dar com esta obra é a requalificação do pavilhão desportivo, que será uma espécie de “2 em 1”. Prevê-se a construção de um pavilhão com bancada para 150 pessoas, que seja também pavilhão municipal nas horas vagas.

“A escola tem um pavilhão desportivo, que funcionará também como um equipamento municipal, ou seja, durante o período de atividades letivas é um equipamento para uso da escola, fora esse período, ao fim das atividades letivas e ao fim-de-semana funciona como um equipamento que está disponível para a população, para os nossos clubes poderem fazer as suas atividades desportivas”.

O autarca sardoalense indicou ainda que é feito “um bom uso dos dinheiros públicos” uma vez que a câmara tinha previsto “há cerca de 5/6 anos” a construção de um pavilhão polivalente entre o que é o campo de jogos e a piscina, mas prevendo-se o projeto para o novo parque escolar, entendeu o município que seria mais viável optar pela requalificação do pavilhão desportivo, tornando-o polivalente, e evitando ter dois pavilhões com 500 metros de distância entre ambos.

“É um equipamento que faz falta, e que é desejado há muito tempo”, e “abre portas a novas modalidades, outros voos, a outras disponibilidades que as pessoas possam querer”, concluiu.

PUB
Joana Rita Santos
Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

1 COMENTÁRIO

  1. estando essa região do país a ficar despovoada e com duas escolas em Abrantes ,com decréscimo de alunos, não faz sentido consruir uma nova escola.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).