Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Município distribui computadores e Internet pelos alunos do Agrupamento de Escolas

Sardoal já contava com 24 tablets que entregou aos alunos do Agrupamento de Escolas que acusaram falta de equipamentos informáticos para o ensino à distância e adquiriu mais 26 computadores portáteis para emprestar aos alunos mais necessitados, disse ao mediotejo.net o presidente da Câmara Municipal, Miguel Borges.

- Publicidade -

O Município “tinha 24 tablets no âmbito do projeto ‘Miúdos Digitais’ entregues numa primeira fase a todos os alunos que necessitaram e comprou mais 26 computadores que não estão todos entregues. Todos os alunos têm computador neste momento e temos capacidade de resposta” se a necessidade aumentar, garantiu o autarca.

Miguel Borges manifestou-se “agradavelmente surpreendido” porque no que toca a dispositivos de Internet móvel “apenas três alunos não tinham acesso à Internet: um de Sardoal e dois da zona norte do concelho de Abrantes”, avançou.

- Publicidade -

No total, estão à disposição das entidades escolares 50 equipamentos informáticos (tablets e computadores) e três sistemas de Internet móvel. Os 24 tablets foram adquiridos no âmbito do PEDIME – Plano Estratégico de Desenvolvimento Intermunicipal da Educação no Médio Tejo.

O restante equipamento foi comprado pelo Município com o objetivo de colmatar as necessidades mais prementes dos alunos com aulas em casa, que resultam do atual cenário de pandemia da covid-19.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome