Sexta-feira, Fevereiro 26, 2021
- Publicidade -

Sardoal | Mais de 300 bombeiros no combate às chamas em Cabeça das Mós

Um incêndio em povoamento florestal deflagrou esta tarde, cerca das 16h29, segundo a ANPC, na localidade de Cabeça das Mós, concelho de Sardoal, distrito de Santarém. O incêndio encontra-se em curso, ou seja, em evolução sem limitação de área.

- Publicidade -

Atualizado às 17h34:

Sobe para 6 o número de meios aéreos no apoio ao combate às chamas. 155 operacionais estão no terreno apoiados de 39 viaturas.

- Publicidade -

Atualizado às 17h50:

Em declarações ao mediotejo.net, Miguel Borges, presidente da CM Sardoal, referiu que estão “muito meios no terreno” e que se está numa situação de combate. “Estão a arder alguns quintais”, disse o autarca, fazendo notar que a situação não está a ser fácil.

Atualizado às 18h00:

Segundo dados do prociv.pt estão no local 10 meios aéreos, 191 operacionais e 50 viaturas.

Atualizado às 18h17:

Segundo dados do prociv.pt estão no teatro de operações 207 operacionais e 56 viaturas. 8 meios aéreos continuam a ajudar no combate às chamas.

Atualizado às 19h21:

O incêndio que lavra desde as 16h29 em Cabeça das Mós, está a ser combatido, segundo dados da ANPC, por 293 operacionais, apoiados por 79 viaturas. 10 meios aéreos estão no local.

Atualizado às 19h29:

Sobe para 300 o número de operacionais a combater as chamas em Cabeça das Mós, segundo dados da ANPC.

Atualizado às 20h18:

Estão no terreno 320 operacionais, apoiados de 91 viaturas e 8 meios aéreos, segundo o site da ANPC.

Atualizado às 20h27:

O mediotejo.net deslocou-se ao Posto de comando, em Cabeça das Mós, onde Miguel Borges, autarca sardoalense, reconheceu que o combate está a ser “complicado”. O presidente da Câmara referiu que o incêndio que deflagrou cerca das 16h29 em Cabeça das Mós, concelho de Sardoal, “já está a caminhar. Neste momento já está no concelho de Abrantes, mais propriamente em Mouriscas”.

O vento é o principal fator condicionante ao combate, sendo preocupação a proximidade às habitações. “A prioridade é as pessoas que lá habitam, depois os seus bens, e é o que os homens e as mulheres estão a tentar fazer, proteger. Porque é muito difícil. E está muito próximo na aldeia de Cabeça das Mós”, salientou o autarca.

Às 20:35 estão no local, segundo a ANPC, 358 operacionais , 105 viaturas e 5 meios aéreos.

Atualizado às 21h01:

Ao cair da noite, segundo dados da ANPC no site prociv.pt, os meios aéreos começam a recolher, estando referenciados ainda 3 no local. 369 homens e mulheres estão no teatro de operações, em combate, apoiados de 112 viaturas.

Atualizado às 22h13

Segundo dados da ANPC estão no local 425 meios humanos e 134 meios terrestres. O incêndio permanece em curso a esta hora.

[Em atualização]

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Muito se fala e escreve em limpar a floresta!
    Alguém tem a noção de quanto custaria a limpeza de todas as florestas de Portugal continental?
    A floresta não se limpa, gere-se!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).