Sardoal | Idosos ficaram “esquecidos” e estão “sem vacinas” contra a gripe, critica Provedor

Idosos ficaram "esquecidos" e estão "sem vacinas" contra a gripe, critica Provedor da Misericórdia de Sardoal. Foto: mediotejo.net

O deputado municipal Anacleto Batista (PSD), que é também Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Sardoal, disse na última Assembleia Municipal que os idosos da Misericórdia ficaram “esquecidos” e “estão sem vacinas” contra a gripe. “Quase metade mo mês de dezembro vencido e não há vacinas [contra a gripe] para ninguém”, criticou.

PUB

“Já reclamámos, já fizemos o que tínhamos de fazer mas de facto a solução que foi encontrada neste momento, a ver se não começavam a aparecer focos de pneumonias que são contagiosas e que se pegariam a muitos idosos, passa pelo problema de, através da clínica que assiste a instituição, de fazerem pedidos de compra de aquisição de vacinas para dar aos utentes, já que o Governo prometendo mil coisas não cumpriu nenhuma”, afirmou o responsável.

“Há instituições que já receberam as vacinas, o Sardoal ficou, no que diz respeito à Santa Casa da Misericórdia, no esquecimento”, afirmou Anacleto Baptista, deputado municipal eleito pelo PSD, durante a última Assembleia Municipal, realizada no dia 10 de dezembro.

PUB

Contactada pelo mediotejo.net, a diretora do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo disse que houve este ano “mais procura” e “alguns constrangimentos de entregas”, tendo dado conta que “hoje [quinta-feira] já foram rececionadas mais algumas e começaram a ser distribuídas por lares e centros de dia”.

“Ninguém vai ficar sem vacinas”, assegurou, tendo feito notar que todos podem ser vacinados no período do outono e do inverno, mas, “preferencialmente, até ao final do ano”.

PUB

“Este ano já foram vacinados praticamente quase tantos cidadãos como no período homólogo do ano passado e somos o ACES que mais vacina em todos os 15 Agrupamentos de Centros de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, e um dos três primeiros em todo o país”, notou Sofia Theriaga, tendo referido que “as vacinas vão sendo solicitadas e distribuídas à medida da procura”.

Com um total de 225 mil frequentadores, o ACES Médio Tejo já vacinou este ano 30.554 cidadãos, ao passo que em igual período de 2018 havia vacinado 33.100 pessoas. Um número que este ano, ao que tudo indica, vai ser ultrapassado.

O ACES Médio Tejo tem 2.706 quilómetros quadrados e abrange 11 municípios com cerca de 225 mil utentes frequentadores.

O ACES MT é composto pelos municípios de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha.

c/Paula Mourato

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

1 COMENTÁRIO

  1. Neste momento tem havido falta de vacinas em relação à procura nesta região – isto não quer dizer que não venham a ser suficientes.
    O risco das pneumonias por falta da vacina da GRIPE (que aflige o senhor provedor) é fantasia e ignorância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here