Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sardoal | Festas com circuito para facilitar o trânsito na entrada e saída da vila

As Festas do Concelho de Sardoal terão este ano o trânsito facilitado no que diz respeito à entrada e saída da vila. O vereador Carlos Duarte (PS) sugeriu um circuito de sentido único para evitar o congestionamento de trânsito junto à ponte, durante os três dias de festividades. A confirmação foi dada pelo presidente da Câmara Municipal, Miguel Borges (PSD), durante a reunião de executivo, em resposta à intervenção do vereador socialista, dizendo que a sua sugestão seria “tomada em conta”.

- Publicidade -

Na edição de 2018 das festas do Concelho de Sardoal, o vereador eleito pelo Partido Socialista (PS), Carlos Duarte, observou “um grande congestionamento por volta das 23h00, pessoas a quererem sair de Sardoal e outras a quererem entrar, junto à ponte. Na altura sugeri na Câmara Municipal que se deveria pensar num circuito para evitar que voltasse a acontecer. A minha ideia foi tida em consideração e este ano o mesmo já não irá suceder”, afirmou ao mediotejo.net.

A sugestão do vereador socialista passava por entrar em Sardoal pelo lado de Abrantes e sair de Sardoal pelo lado de Mouriscas mas, neste momento, ainda se aguarda o plano final que terá de ser aprovado pela comissão concelhia de segurança, segundo explicou o vereador.

- Publicidade -

A edição de 2019 das Festas de Sardoal decorrem de 20 a 22 de setembro e apresentam Olavo Bilac, Dora Maria e D’Alva como cabeças de cartaz.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome